Jundiaqui
Jundiaqui

Marcela Panizza brilha como cantora de ópera

Jundiaqui
28 de julho de 2017
Jundiaiense concorre ao prêmio do programa "Prelúdio", da TV Cultura



Edu Cerioni

A cantora de ópera Marcela de Oliveira Panizza, jundiaiense de 24 anos, está no "Prelúdio", o mais conhecido programa para jovens e que é um concurso de música erudita da TV Cultura.

Ela se apresenta com mais três concorrentes neste domingo (30), a partir do meio-dia. E o JundiAqui revela o que vocês vão confirmar na telinha: Marcela brilha e passa de fase.

O "Prelúdio" selecionou 48 finalistas e vem fazendo eliminatórias para chegar ao vencedor, que terá direito a uma bolsa de estudos de três anos na Academia Franz Liszt, em Budapeste, oferecida pela Embaixada da Hungria.

"Meu maior objetivo é fazer um trabalho bom e aproveitar essa oportunidade de estar em um programa de muita visibilidade", conta Marcela, que já está entre os 24 da segunda fase - o programa é gravado.

Que venha o prêmio? "Não estou colocando expectativas em vencer. É muito concorrido, pois o nível dos candidatos é alto. Só de estar entre eles já é uma vitória", completa. Mas reconhece: "o prêmio é bem legal, pois a Europa tem tradição e fortes escolas de música erudita".

DESDE BEBÊ

A música faz parte da vida de Marcela desde sempre. Aos 9 meses, foi levada pela mãe, Evanira, para o curso de musicalização para bebês da Escola de Música de Jundiaí, com Luciana Feres. Pegou gosto.

Fez aulas de canto e piano, até se formar em Música pela Unesp, em São Paulo. Passou no vestibular também na Unicamp e na USP, mas escolheu a Unesp por conta dos professores de canto e por ser "o melhor curso".

Moradora do bairro do Engordadouro, estudou desde o pré-primário no Colégio Ser, que antes se chamava Universitário, onde tem até torcida agora para a disputa do "Prelúdio" da TV Cultura. "O Rafael Pellizer, que é coordenador e foi meu professor, vem divulgando e os alunos estão dando apoio, o que é sempre uma motivação a mais."

UMA JOVEM NA ÓPERA

O "Prelúdio" é para instrumentistas de até 25 anos de idade e cantores de até 28, porque busca revelar novos talentos. A jundiaiense conta que ópera realmente é para cantores mais maduros, mas que é o estilo que corre em suas veias.

Ela fez, na Escola de Música Tom Jobim, na Capital, dois anos do curso de Ópera Estúdio, porém essa escolha vem de longa data: "Gosto de vários estilos, mas sempre me identifiquei com essa maneira de cantar. Sempre gostei de estudar mais o lírico".

DIVIDINDO OS CONHECIMENTOS

Marcela dá aulas de canto em Jundiaí em diferentes escolas. Atua especialmente junto com Elaine Freitas, na Ponte São João, onde ganhou a primeira oportunidade como professora. Também faz a preparação vocal do coro regido por Elaine, o Cant'Arte. Outro trabalho é na AMA, Academia de Música e Artes, junto com Sandra Gebram.

"Adoro ensinar canto, mas continuo fazendo aula, estudando, indo atrás de cursos e audições, fazendo contatos para poder um dia atuar como cantora lírica, como já me considero assim, mesmo sem poder viver somente dessa atividade", explica.

Marcela também faz teatro e participou da montagem de "Filhos Perfeitos", com direção de José Renato Forner, em abril, no Polytheama.



EM FAMÍLIA

A cantora acaba de ficar noiva de Felipe, que é engenheiro. Conta que eles vão assistir ao programa neste domingo em família. Churrasco? Não, gera muito falatório e desviaria a atenção... A mãe vai preparar outro prato que ainda é surpresa.

A gravação foi feita no Teatro Franco Zampari, na Praça Tiradentes, em São Paulo, e tem os familiares de Marcela na plateia. O "Prelúdio" 2017 vem sendo exibido desde 2 de julho nessa sua 13ª edição - agrada ao unir a música erudita ao tradicional formato de show de calouros.



É apresentado por Roberta Martinelli e pelo maestro e diretor artístico Júlio Medaglia (acima) e entre os jurados figuram Ana Botafogo, Antonio Del Claro, Miguel Proença. Ao todo serão 12 semanas avaliando músicos que vão dos 13 aos 27 anos. O mais novo deles é Estefan Vergara, pianista natural de Curitiba e o mais velho é Bruno de Sá Nunes, sopranista, algo inusitado, pois costumeiramente são as mulheres que desenvolvem esse talento musical. Outro forte concorrente é Robson do Carmo Junior, violinista que vive na Suíça e voltou ao Brasil para participar do programa.

Na fotos, Marcela como Donna Elvira, na montagem de "Don Giovanni" (acima) e cantando a Primeira Dama em "A Flauta Mágica" (abaixo), ambas na Ópera Estúdio da EMESP

Jundiaqui
Você vai
gostar de

Sushi de frutas tropicais com sorvete de gengibre

Pelo chef Paulo de Luna

A Suíça de Davi Chaim no Casa Cica

Veja como foi a abertura da nova exposição de fotos no bar e restaurante

Valdomiro Manzini é pioneiro na revenda de carros

Desde os anos 70 esse ex-torneiro mecânico mantém loja rua Pirapora

Trio em Transe planeja 30 anos e anuncia saída do Chupa que é de Uva

Músicos da banda focam aniversário de 2019 com festas e até lançamento de um livro
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.