Jundiaqui
Jundiaqui

Marcela Panizza brilha como cantora de ópera

Jundiaqui
28 de julho de 2017
Jundiaiense concorre ao prêmio do programa "Prelúdio", da TV Cultura



Edu Cerioni

A cantora de ópera Marcela de Oliveira Panizza, jundiaiense de 24 anos, está no "Prelúdio", o mais conhecido programa para jovens e que é um concurso de música erudita da TV Cultura.

Ela se apresenta com mais três concorrentes neste domingo (30), a partir do meio-dia. E o JundiAqui revela o que vocês vão confirmar na telinha: Marcela brilha e passa de fase.

O "Prelúdio" selecionou 48 finalistas e vem fazendo eliminatórias para chegar ao vencedor, que terá direito a uma bolsa de estudos de três anos na Academia Franz Liszt, em Budapeste, oferecida pela Embaixada da Hungria.

"Meu maior objetivo é fazer um trabalho bom e aproveitar essa oportunidade de estar em um programa de muita visibilidade", conta Marcela, que já está entre os 24 da segunda fase - o programa é gravado.

Que venha o prêmio? "Não estou colocando expectativas em vencer. É muito concorrido, pois o nível dos candidatos é alto. Só de estar entre eles já é uma vitória", completa. Mas reconhece: "o prêmio é bem legal, pois a Europa tem tradição e fortes escolas de música erudita".

DESDE BEBÊ

A música faz parte da vida de Marcela desde sempre. Aos 9 meses, foi levada pela mãe, Evanira, para o curso de musicalização para bebês da Escola de Música de Jundiaí, com Luciana Feres. Pegou gosto.

Fez aulas de canto e piano, até se formar em Música pela Unesp, em São Paulo. Passou no vestibular também na Unicamp e na USP, mas escolheu a Unesp por conta dos professores de canto e por ser "o melhor curso".

Moradora do bairro do Engordadouro, estudou desde o pré-primário no Colégio Ser, que antes se chamava Universitário, onde tem até torcida agora para a disputa do "Prelúdio" da TV Cultura. "O Rafael Pellizer, que é coordenador e foi meu professor, vem divulgando e os alunos estão dando apoio, o que é sempre uma motivação a mais."

UMA JOVEM NA ÓPERA

O "Prelúdio" é para instrumentistas de até 25 anos de idade e cantores de até 28, porque busca revelar novos talentos. A jundiaiense conta que ópera realmente é para cantores mais maduros, mas que é o estilo que corre em suas veias.

Ela fez, na Escola de Música Tom Jobim, na Capital, dois anos do curso de Ópera Estúdio, porém essa escolha vem de longa data: "Gosto de vários estilos, mas sempre me identifiquei com essa maneira de cantar. Sempre gostei de estudar mais o lírico".

DIVIDINDO OS CONHECIMENTOS

Marcela dá aulas de canto em Jundiaí em diferentes escolas. Atua especialmente junto com Elaine Freitas, na Ponte São João, onde ganhou a primeira oportunidade como professora. Também faz a preparação vocal do coro regido por Elaine, o Cant'Arte. Outro trabalho é na AMA, Academia de Música e Artes, junto com Sandra Gebram.

"Adoro ensinar canto, mas continuo fazendo aula, estudando, indo atrás de cursos e audições, fazendo contatos para poder um dia atuar como cantora lírica, como já me considero assim, mesmo sem poder viver somente dessa atividade", explica.

Marcela também faz teatro e participou da montagem de "Filhos Perfeitos", com direção de José Renato Forner, em abril, no Polytheama.



EM FAMÍLIA

A cantora acaba de ficar noiva de Felipe, que é engenheiro. Conta que eles vão assistir ao programa neste domingo em família. Churrasco? Não, gera muito falatório e desviaria a atenção... A mãe vai preparar outro prato que ainda é surpresa.

A gravação foi feita no Teatro Franco Zampari, na Praça Tiradentes, em São Paulo, e tem os familiares de Marcela na plateia. O "Prelúdio" 2017 vem sendo exibido desde 2 de julho nessa sua 13ª edição - agrada ao unir a música erudita ao tradicional formato de show de calouros.



É apresentado por Roberta Martinelli e pelo maestro e diretor artístico Júlio Medaglia (acima) e entre os jurados figuram Ana Botafogo, Antonio Del Claro, Miguel Proença. Ao todo serão 12 semanas avaliando músicos que vão dos 13 aos 27 anos. O mais novo deles é Estefan Vergara, pianista natural de Curitiba e o mais velho é Bruno de Sá Nunes, sopranista, algo inusitado, pois costumeiramente são as mulheres que desenvolvem esse talento musical. Outro forte concorrente é Robson do Carmo Junior, violinista que vive na Suíça e voltou ao Brasil para participar do programa.

Na fotos, Marcela como Donna Elvira, na montagem de "Don Giovanni" (acima) e cantando a Primeira Dama em "A Flauta Mágica" (abaixo), ambas na Ópera Estúdio da EMESP

Jundiaqui
Você vai
gostar de

Pátria de chuteiras

Por Wagner Ligabó

Cristian é recebido como herói nacional na volta a Jundiaí

Atleta de 15 anos do Peama brilhou na Paralimpíada de Inverno e retornou com festa ao Bolão

A visão de Vera Gonçalves do Desfile de 7 de Setembro

JundiAqui te leva pra avenida Prefeito Luiz Latorre em giro fotográfico

O futebol europeu conhece nossas joias antes de nós

Por Marcel Capretz
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.