Jundiaqui
Jundiaqui

“Memórias de Maria” volta ao palco às vésperas do seu 20º aniversário

Jundiaqui
22 de março de 2018
Espetáculo teatral tem texto de Marcos César Duarte com um olhar focado na dor de uma mãe que perde seu filho

José Arnaldo de Oliveira

Neste sábado (24), no Teatro Polytheama, o espetáculo “Memórias de Maria” retorna ao palco com direção de Alexandre Ferreira, iluminação de José Luiz Fagundes, sonoplastia de Rafael Lopes e um grande elenco que envolve outros nomes do cenário artístico local como Eliana Brega ou os atores Rick e Kelly. É uma montagem que já lotou a casa com mais de 1,5 mil espectadores.



Para o dramaturgo Marcos César Duarte, que criou o texto em 1999 com parceria do próprio Alexandre, a montagem da Companhia Práxis Religarte é um fenômeno dentro da arte jundiaiense por sua longevidade.

“A peça surgiu dentro daquela reflexão de fim do século, inspirada no fato de Yoshua (termo em aramaico para Jesus) ser um eixo do pensamento e da civilização ocidental. Mas com um olhar focado na dor de uma mãe que perde seu filho, algo que é universal”, explica.

Essa humanização, que por razões de calendário coincide neste ano com a véspera da Semana Santa da liturgia católica, não percorre o roteiro tradicional do nascimento, morte e ressurreição desse ciclo, mas uma abordagem diferenciada dentro da história conhecida pelo público.

Não deveria, portanto, haver “spoilers” – mas há surpresas no modo de apresentação, desde o jogo de abertura antes de abrirem-se as cortinas. E um dos pontos altos da peça, como também da própria civilização ocidental, é o Sermão da Montanha e suas bem-aventuranças.

Autor de mais de quinze peças teatrais (a maioria na Cia. Solo) e colaborador de outras tantas como diretor ou ator, Marcos César Duarte lembra de ter se iniciado nessa arte nos bancos escolares, na década de 1980. Com a professora e artistas Fernanda Milani, na Escola Cecília Rolemberg, criou uma peça para os fantoches confeccionados em suas aulas. Em um festival de monólogos coordenado pela professora Ivanira Dadalt, na Escola Ana Paes, interpretou um texto sobre diversidade escrito por Fernando Bandini.
“Sinto falta dos festivais estudantis de teatro, que revelavam muitos talentos”, comenta.

Ele mesmo foi também professor, na sala azul da Casa da Cultura ainda na rua Barão, incluindo uma protomontagem do espetáculo deste sábado com um diálogo entre Maria e um anjo.

A apresentação de “Memórias de Maria” acontece às 20h30 deste dia 24 no Teatro Polytheama (rua Barão de Jundiaí, 176, Centro), com ingresso a R$  R$ 30,00 - meia para estudantes. Tem realização do Ateliê de Arte Alice Vilhena.

Colaboração: Jundiahy Textos e Ideias – José Arnaldo de Oliveira
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Atitude adotiva é o que vale realmente

Kelly Galbieri mostra que a criança precisa de amor, respeito e dignidade. E isso independe de quem cria

Cinco ponto quatro

Numa manhã de sábado, a menina entrou na idade do lusco-fusco, na idade do outono, conta Cláudia Bergamasco

Caricatura de Tom Ribeiro é pura diversão

Artista presenteou muitos convidados da festa de 3 anos do JundiAqui

Superação no esporte e na vida

Por Luis Cláudio Tarallo
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.