Jundiaqui
Jundiaqui

Moradora cria a rua dos postes coloridos na Ponte São João

Jundiaqui
31 de maio de 2017
Helena Tavares Coutinho vai dando mais cor e vida para a rua ao lado da Igreja São João Batista

José Arnaldo de Oliveira

A Ponte São João passa por uma mudança de cores em uma de suas ruas, a Joaquim Ladeira, onde uma dezena de postes ganharam barras com flores ou figuras geométricas.

Quem passa ao lado da Igreja da Ponte, entre as ruas Carlos Gomes e Dino, nota o talento para colorir da moradora Helena Tavares Coutinho, que recebe como recompensa as manifestações de agrado da vizinhança.

“É uma verdadeira artista, com humildade”, diz Lídia Polli Maia. “Nosso poste tem flores, especialmente oferecidas para minha mãe”, acrescenta Karina Iacubecz.

A autora das pinturas é uma mineira que escolheu Jundiaí para viver e diz que essa recompensa se estende a outros idosos, adultos, jovens e crianças. “Acho que é porque provoca alegria”, comenta sobre seu trabalho autodidata, que também marca sua casa - também foi assim na anterior, no bairro de Ivoturucaia. Os filhos e netos aprovam.



O gasto é pouco, pois geralmente ela utiliza tintas encontradas pela rua pelo companheiro Ângelo. Nem mesmo papel é usado, pois os belos desenhos vão surgindo conforme a pintura acontece. Basta a vontade – e isso não falta.

“Os vizinhos brincam que antes os postes eram da rua, agora são seus”, comenta ao observar que o espaço público é de todo mundo e não deve depender apenas da Prefeitura para serem cuidados.



Ela também pintou a mesinha de concreto da pracinha mais próxima e passa de vez em quando para tirar ervas daninhas, pedaços de entulho ou mesmo plantar uma flor.

Também parte da lateral da Igreja São João Batista ganhou toques coloridos.

Dona Helena se confessa fã dos artistas do grafite, embora não aprecie pichações.



Ela também toca seu violão e canta nas comunidades da próprio São João ou na Catedral.

Mas tem orgulho de suas invenções visuais. Ela mostra uma parede que parece de textura mas que é apenas um efeito obtido com uma bisnaga mal misturada. “Gosto de inventar”, explica.

Esse é mais um pouco do tradicional espírito da Ponte São João, que sempre teve lances de criatividade, de vizinhança e de convívio entre as pessoas.



Fotos: José Arnaldo de Oliveira
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Di Fiori vem aí com coleção luxo e glamour

Fernando e Viviane preparam o lançamento de novos modelos de óculos de sol

Maxi homenageia as mulheres com mimos e cursos especiais

Um brigadeiro de colher poderá ser saboreado no Carrinho Gourmet

San Francisco Night

“Francisco: Homem Santo e Santo Homem” leva arte e reflexão ao Sesc

“O brasileiro não sabe votar”

Por Vera Vaia
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.