Jundiaqui
Jundiaqui

Um giro por sessenta anos da arte de (e com) Elvio Santiago

Jundiaqui
10 de outubro de 2018
Artista tem obras expostas até dia 28. JundiAqui mostra pinturas de 1954 a 2018

Edu Cerioni

Elvio Santiago está feliz. Depois de mais de cinco anos, tem uma mostra só sua em Jundiaí, cidade que o acolheu e onde vive ao lado da mulher Tata, filhos, netos e uma infinidade de amigos. Elvio está ainda mais feliz porque conseguiu resumir sua carreira em 28 obras. Não foi fácil escolher entre cerca de dois mil óleos produzidos ao longo de 60 anos. Elvio está muito, mas muito feliz por ter sua obra número 1, chamada "Outono", exposta pela primeira vez.

Só o JundiAqui respondeu ao convite para a abertura da exposição "Da Minha Janela, o Mundo..." Sorte a minha que ganhei um tour guiado pelo próprio artista plástico e ex-professor de artes pelo Paineiras Shopping, na noite da última quinta-feira (4).

Elvio me mostrou todos os quadros, contou histórias e falou de planos de pintar mais ainda. "Duas mil telas a óleo parecem muito, não?! Tem quem fez isso em um ano, por isso nem penso em parar ainda." Dito isso, me leva para ver um dos últimos quadros que pintou. "Dá para ver a diferença conforme o passar dos anos, não é?" Sim, claro, respondo, afinal seu trabalho foi se elaborando e ganhando mais vida e cor cada vez mais.

Aos 81 anos, Elvio está de "coração novo". Levou um susto, foi parar no hospital e jura que vem controlando bem alimentação e cumprindo outras recomendações médicas - embora caia em contradição depois, ao convidar um casal amigo para uma uma noite da pizza. Ri quando lhe cobro e me puxa pelo braço para ver outra obra...

Tem trabalhos ali que já foram expostos algumas vezes inclusive fora do Brasil - sua obra está presente nos Estados Unidos, em Portugal, na Espanha, na França e tantos outros. O passeio pelo piso superior do Paineiras nos leva a diferentes fases de um mesmo genial pintor.

Pelo caminho, encontramos com o também artista plástico Pedro Sabiá, que fez questão de ir parabenizar o mestre Elvio. Também Rick e Kelly estavam por lá e outros. E o que víamos era um trabalho claro, de formas reais em uma paisagem criativa apoiada no cubismo mas com sotaque único desse caipira que nasceu em Bragança Paulista e escolheu Jundiaí para viver.

Aqui um parênteses: fez de sua casa seu ateliê, identificado no Vianelo por ter na fachada uma escultura gigante do amigo Adélio Sarro.

Formado em Desenho e  Artes Plásticas, em Educação Artística e em Pedagogia, Elvio Santiago soma mais de 300 exposições, mas conta que essa é diferente por causa da obra número 1. Me chama para descer ao piso inferior do shopping, onde "Outono" está exposta com proteção de vidro. Reclamo da dificuldade de fotografá-la por conta do reflexo, ele nem liga e se emociona...

"Minha mãe, antes de morrer, me chamou e disse: filho, leva esse quadro embora, porque depois não quero briga entre os irmãos para ver quem fica com ele. Foi você quem pintou, ele é seu". Dona Mercedes morreu aos 94 anos, dias depois desse encontro. "Outono" data de 1954 e difere de todos os demais trabalhos de Elvio à mostra no Paineiras até 28 de outubro.

Na quinta, teve ainda show no Paineiras de Renan Cavolik, jundiaiense que participou do "The Voice Brasil 2018" da TV Globo.

Veja mais fotos:

 

Fotos: Edu Cerioni

É na avenida 9 de Julho, 1.155, Chácara Urbana. Gratuito.



Eu ao lado de Sabiá e Elvio, uma honra!
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Estamos literalmente excluídos

Por Wagner Ligabó

“Meu Pai Foi Ferroviário” tem histórias de portugueses agora

Lançamento da nona edição será em Portugal no dia 9 de junho no Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento

Mais do mesmo

Marcel Capretz bate na tecla de que clubes erram ao trocar de técnico ao primeiro enrosco

Encantou-se estrela no manto do seu amado Corinthians

Thaty Marcondes se despede de Olga Lopes Cubero, enterrada nesta segunda-feira
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.