Jundiaqui
Jundiaqui

Exclusivo: Nos 30 anos União da Vila tem até orquestra na folia

Jundiaqui
12 de março de 2018
Foi na casa de dona Tica que a escola nasceu em 1988 e ela voltou à quadra neste domingo para festejar a amizade 

Edu Cerioni

Com exclusividade você vê aqui os 30 anos do Grêmio Recreativo e Escola de Samba União da Vila Rio Branco. Fotografei seu nascimento em 1988 e fui conferir a festa neste domingo (11). Em comum, a alegria e também a presença de dona Tica e seu filho César Rosão, primeiro presidente da agremiação. Também presente nos dois momentos o jornalista José Arnaldo de Oliveira.



Com as cores vermelho, azul e branco, a escola de samba que nasceu na casa de dona Tica na Vila Liberdade e teve seu primeiro batuque no morro do Marco Leite tem seu nome inspirado na união dos bairros que formam a grande Vila Rio Branco, que são os jardins Rio Branco, Danúbio e Florestal, Vila Margarida e a própria Liberdade.

A ideia nasceu com um grupo de amigos reunidos numa terça-feira de Carnaval, isso em 1988. Viram desfiles na cidade, assistiram pela TV as maravilhas das escolas do Rio de Janeiro e entenderam que dava para trazer o Carnaval para o bairro. E mais: unido ainda a um time de futebol.

A festa da agora trintona foi com samba e batucada, é claro. Mas também com MPB e até música clássica na noite deste domingo, na quadra que fica sob o viaduto da Vila Rio Branco, onde se apresentou a convidada Banda São João Batista. Maristela de Camargo cantou em nome da União e o público curtiu ainda show de Tom Nando e batuqueiros do Bloco Afro Kekerê e a bateria Ritmo na Veia, do mestre Zé Prego. Banda e bateria se apresentaram juntas em "Aquarela do Brasil".

Mestres-salas e portas-bandeiras de outras escola foram prestigiar a noitada, carregando seus pavilhões em respeito a essa aniversariante que festejou seis títulos, entre eles um tricampeonato seguido - 1990, 2001, 2002, 2003, 2006 e 2011 - e se firmou na história do nosso Carnaval e ganhou o coração de milhares de foliões. O time de futebol também chegou a ser campeão do Amador de Jundiaí.



Foi uma noite de encontros e reencontros para dona Tica e Cesinha, que se  surpreenderam ao rever a reportagem sobre o dia da fundação da escola de samba em registro exclusivo do "Jornal Rio Branco" - que eu e Arnaldo publicamos durante os anos oitenta.

Veja fotos:

    Fotos: Edu Cerioni
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Medalhões de filé mignon ao molho de mostarda e batatas rasgadas

Por Paulo de Luna

Caxambu tira o nome da uva mas mantém festa tradicional

Ela chega a sua edição de número 85 a partir deste sábado e até 11 de março

Perna-de-pau, acrobatas e muita ousadia na festa do JundiAqui

Artistas se unem em uma apresentação de tirar o fôlego e que traz reflexão

Jura toca bar há 42 anos no mesmo ponto

É na Ponte São João aquela que talvez seja esquina mais tradicional entre todas as que têm um boteco em Jundiaí
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.