Jundiaqui
Jundiaqui

Sábado de Aleluia é com coelhinhos e coelhinhas do Chupa

Jundiaqui
28 de março de 2018
Bloco revive a folia do Carnaval a partir das 17 horas, desta vez no Tênis CLube

Carnaval do Chupa que é de Uva sempre começou em agosto, mas agora já tem folia a partir do Sábado de Aleluia: é a festa "Chupa Coelhinho", no Tênis Clube, com ingressos a R$ 30,00.

"A ideia era voltar às ruas, mas fomos novamente proibidos pelo Poder Publico e pela Polícia Militar. Mudamos local, mas sem perder o rebolado", diz Val Junior, comandante do bloco que é recordista de público na história de Jundiaí - cerca de 80 mil pessoas no desfile de 2017 pela avenida Prefeito Luiz Latorre."É nosso primeiro Sábado de Aleluia e a expectativa grande, mas por ser uma festa inédita e em meio a um feriado prolongado, não sabemos exatamente como vai ser a adesão. Esperamos que role bem. Animada vai ser, com certeza", garante Val, também apresentador de TV.

Os convites podem ser adquiridos no próprio sábado (31) no Tênis Clube, a partir das 17 horas. Entre 9 e 14 horas, terá vendas na loja República dos Lobos.O "Chupa Coelhinho" terá animação do Trio em Transe, com Tom Nando, Daniel Busanelli, Iramy Piola, Fernando Gambini, Pedro Ivo Adami e outros reforços. Haverá apresentação da Bateria Azul e Branco e dá Escola de Samba Leões da Hortolândia, bicampeã do Carnaval de Jundiaí, com passistas, porta-bandeira e mestre-salas, além de bateria e puxadores de samba.

O Tênis fica na rua Dr. Édson Zardeto de Tolêdo, 235, Parque do Colégio.
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Por que você não olha pra mim? Paralamas do Sucesso toca no Jundiaiense

Banda liderada por Hebert Viana se apresenta neste sabadão (27), na 37ª edição do Baile do Havaí Hebert Viana, João Barone e Bi Ribeiro são os [ ... ]

Chupa que é de Uva tem festa dia 17 no Casa Cica

Vai ser a apresentação da Corte 2019 e da banda Radical Chick, que vai animar o Carnaval do bloco

Jundiaiense vira o novo xodó do Santos

Ele joga com a mesma camisa que um dia foi do bicampeão mundial Dalmo Gaspar

Jundiaiense fala do medo que sentiu com terremoto no México

Gabriel Nunes conta sobre segundos que pareciam intermináveis de pânico coletivo
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.