Jundiaqui
Jundiaqui

Em meio à guerra ao coronavírus, Mariana Godoy estreia em rádio

Jundiaqui
23 de março de 2020
Apresentadora da RedeTV! agora comenta as notícias do dia na Nova Brasil FM

A jornalista Mariana Godoy, que morou em Jundiaí, onde defendeu o Divino como jogadora de basquete, estreia nesta segunda-feira (23) na rádio Nova Brasil FM.

Ela vai fazer dobradinha como comentarista de notícias - claro que o foco é total agora na questão do Covid-19 - com o também jornalista Mauro Tagliaferri. A dupla já trabalhou junta na RedeTV!.  Vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 6h às 8h, dentro do programa "Nova Manhã". Eles se juntam a Luciano Oliva, atual apresentador do noticiário.

Mariana vive uma fase de novidades, porque há cerca de um mês foi efetivada como apresentadora titular do "RedeTV News", ao lado de Boris Casoy. Ela comanda ainda seu programa de entrevistas nas noites de sexta-feira da emissora, já tendo levado, entre outros, o presidente Jair Bolsonaro.

A jornalista que começou na TV Gazeta, é a apresentadora que mais tempo ficou na bancada do "Jornal Hoje", da Rede Globo, por cerca de 18 anos. Passou pela Rádio Globo e também Globo News, antes de ir para a RedeTV!.

Começou na televisão em 1989, a convite de Roberto Avallone. Fez uma promoção nas Gazeta de sorteio pelo marketing do Canal + e chamou a atenção do comandante do "Mesa Redonda Futebol Debate". Ao UOL, ela recordou: "Eu explicava como funcionava a TV a cabo: o sinal que vinha do satélite, antena, tal, e que para chegar na sua casa tinha que passar por um decodificador… Imagina isso em 1989. Eu era uma menina. E o Avallone assistiu ao programa e me contratou…".

Começou atendendo o telefone de torcedores que queriam falar sobre o time no "Mesa Redonda" e também já fazia merchandising ao vivo. "Falava da cola Prit: 'aumentou o bastão sem aumentar no preço', aí eu fazia com a mão, aumentou o bastão, fazia aquela cena 'hummm, bastão grande', e o Avallone começava a rir no 'merchan'. A gente sempre trabalhava no clima descontraído".

JUBA EM JUNDIAÍ

Dias atrás, Mariana Godoy publicou uma foto em suas redes sociais e contou ter recebido de uma amiga de juventude: “Hoje é dia de #tbt e eu recebo essa foto da Lu Wood, uma amiga de escola de Jundiaí. Haha meu cabelo! Eu tinha uns 15, 16 anos".

Antes de escolher o jornalismo e a TV, ela que nasceu em Itanhaém e passou a infância em Amparo, se destacou no basquete. "Fui campeã estadual várias vezes pelo clube Divino, que era o colégio onde eu estudava, Divino de Jundiaí, onde jogou a Paula, a Branca… Na época que eu fui elas tinham acabado de sair do Divino para ir para o Unimep, de Piracicaba. Eu fiquei no banco várias vezes, em vários jogos [risos], com a Hortência em quadra e Branca e Paula também. Eu estava no banco, mas estava lá [risos]. Eu sou um pouco mais nova que elas, peguei a geração da Cintia, da Janete… Com essas eu joguei mesmo", relembrou em entrevista ao UOL.

Uma lesão no joelho, aos 17 anos, a tirou das quadras. "Fiquei muito deprimida quando eu tive que parar de jogar, mas eu já sabia que eu queria trabalhar com jornalismo desde sempre".
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Festa da Uva abre uma janela para você ir aos bairros rurais

São 4 saídas ao dia, em ônibus para 46 pessoas, com vista ao Caxambu, Castanho, Terra Nova e Traviú

Ateal oferece máscara por R$ 10,00 e cria brechó

Associação pede ajuda da comunidade para manter seus atendimentos em tempos de pandemia e baixa arrecadação

Fisioterapia Sem Fronteiras ajuda jundiaiense na recuperação da Covid-19

Zenilton é uma das centenas de pessoas que deixaram os hospitais e ganham aliados virtuais contra sequelas

Você

Perder as coisas simples. É isso que endurece a alma, diz Cláudia Bergamasco nesta crônica
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.