Jundiaqui
Jundiaqui

Crônica da cozinha – Precocidade

Jundiaqui
27 de janeiro de 2018
Pelo chef Manuel Alves Filho

Quando era criança, minha casa estava sempre perfumada pelos aromas exalados pela cozinha. Tive a sorte de conviver com pais e avó que mandavam muito bem no fogão, cada um em seu campo de especialidade. Decididamente, esta experiência forjou as bases do meu interesse pela gastronomia. O pequeno Manu mantinha os olhos atentos e o estômago inquieto quando o assunto era o preparo das refeições.

Nas minhas visitas diárias à cozinha, ficava observando com real interesse a movimentação dos responsáveis pelo repasto, que pareciam conferir um caráter teatral às suas tarefas. O modo como se deslocavam de um ponto ao outro, a forma como picavam os ingredientes e a maneira como experimentavam o ponto do sal da comida tinham a precisão e a dramaticidade de uma cena exaustivamente ensaiada.

Em várias dessas ocasiões, me flagrava torcendo para um prato em especial dar errado. Intimamente, pedia aos deuses que regem o fogo e o tempo para que o arroz passasse um pouco do ponto e ficasse levemente tostado na parte inferior. Para mim, os grãos ligeiramente queimados tinham um sabor incrível, o que me dava muito prazer. Vez ou outra, felizmente, minhas súplicas eram atendidas pelas divindades, que, admitamos, contavam com a colaboração dos distraídos cozinheiros.

Mais tarde, quando a gastronomia deixou de ser somente um tema de interesse e passou a ser objeto de meus estudos e práticas, descobri que o arroz ligeiramente queimado não apenas era desejável em determinados pratos, como tinha status de método de cocção. Batizada de socarrat, a técnica é aplicada, por exemplo, na preparação da paella. Em geral, os espanhóis apreciam muito mais os grãos tostados que os demais elementos que compõem a iguaria. A propósito desta historieta, surgiu-me uma dúvida: será que eu sou cozinheiro ou espanhol desde criancinha?

Foto: Ronei Thezolin

Manuel Alves Filho é jornalista e chef de cozinha 

Jundiaqui
Você vai
gostar de

Fim de ano e bom senso

Por Wagner Ligabó

Pequenos que são grandes milagres, com a ajuda da Medicina

Emoção marca o Dia da Prematuridade na Sobam, com relatos de mães que sofreram e hoje veem os filhos crescer

Plástico gera polêmica na Câmara de Jundiaí

Por José Arnaldo de Oliveira

Vestibular da FMJ de 2019 tem 35 candidatos por vaga

Foram 4.301 os inscritos; esse ano avaliação será em um único dia
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.