Jundiaqui
Jundiaqui

Com Popó na plateia, Tayná sobe ao tingue por título sábado

Jundiaqui
5 de abril de 2018
Além de força e agilidade, o bom lutador tem que ter confiança e isso sobra para a atleta que treina em Jundiaí

Com 200 lutas amadoras e mais de 90% de vitórias, Táynna Cardoso, de 29 anos, atleta do Nacional da Vila Arens, estreia no boxe profissional neste sábado (7), em luta no Bolão. Uma noitada com sete desafios e que terá como convidado especial o campeão Popó. E a atleta esbanja confiança: quer logo o título brasileiro que estará em jogo e assegura que ele lhe permitirá chegar a campeã do mundo em 2 anos. Como se vê, confiança não falta...

Táynna encara Simone Duarte, de 31 anos, lutadora experiente e muito dura. "Tenho certeza que será um grande espetáculo para o jundiaiense, que poderá ver uma luta de boxe de alto nível." Será a sexta de sete lutas a partir das 17 horas - a última é a principal, com Patrick Teixeira, de Santana do Parnaíba, enfrentando Davi ‘El Loco’ Eliasquevici, de Santa Catarina, valendo o título latino americano dos supermeio-médios pela Organização Mundial de Boxe (OMB).

Quem virá ver a jornada é o campeão mundial de boxe Acelino Popó Freitas, agora aposentado e vivendo na Bahia.

Os ingressos para quem doar um quilo de alimento não perecível é de R$ 30,00 para arquibancada, R$ 35,00 para cadeiras e R$ 50,00 para área vip (dentro da quadra). Sem a doação, custa o dobro. À venda no Centro de Lutas Academia Jr, Droga Centro, Frank Multimarcas, Galheta Jundiaí, Lojas Barrage Centro e Maxi Shopping, MMA House e Perfeita Forma.

Leia mais:

Táynna vai derrubando as adversidades com socos
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Bar do Já 1.000 tem geladeira turbo inspirada na F1

Boteco no Vianelo reúne amantes de esportes de velocidade. Rubinho Barrichello é o ‘padrinho’ dos brahmeiros dali

Good news!

Vera Vaia resolveu falar das coisas boas que aconteceram nos últimos dias, como a indústria acelerando… 

Obra do jundiaiense Décio Pignatari revisitada em São Paulo

Nome-chave da poesia visual no Brasil tem trabalhos expostos na Galeria Millan

Curtir a amizade

José Renato Nalini escreve sobre similaridade, mutualida­de, igualdade, reciprocidade, benevolência e conhecimento
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.