Jundiaqui
Jundiaqui

Curiosidades do Bolão da Copa do JundiAqui

Jundiaqui
16 de julho de 2018
Sandro Crisol mostrou a maior reação; Gisela só acertou menos na "mosca" que o campeão; e 0x0 foi o placar mais raro

Edu Cerioni

O Bolão da Copa do Mundo do JundiAqui tem festa no Casa Cica nesta noite de terça-feira (17) para entrega de troféus a seus vencedores. O Bolão veio cheio de palpites no último mês e algumas curiosidades marcam as apostas dos 41 participantes...

Reação já!

Sandro Crisol flertou com a lanterna do Bolão durante os primeiros dias. Terminou a fase de grupos em 20º lugar. Nos mata-mata, no entanto, foi somando pontos e se mostrou o melhor de todos entre oitavas e finais, com 17 pontos somados. O professor de Educação Física e repórter da Rádio Cidade AM730 se despediu em oitavo lugar.



Freio puxado

Por outro lado, quem menos acertou nos mata-mata nem foi o lanterninha e sim Tainan Franco, que somou apenas cinco pontos em 16 partidas. A jornalista de TV, no entanto, merece o "troféu de responsa", porque chegou a preencher a tabela de dentro de um trem na Alemanha, para manter o combinado de ir até o fim. Quando fez as primeiras apostas ainda em Portugal teve melhor sorte. Chegou a liderar a disputa e terminou a fase de grupos dividindo o quinto lugar, mas disse tchau neste domingo (15) somente em 17ª.



Outros troféus

Se tivesse troféu de animação no Bolão, este certamente iria para Luly Alves. A recém-aposentada da Guarda Municipal agitou o tempo todo dessa Copa...

O troféu de otimismo iria para Henrique Parra Parra, ex-superintendente da Caixa Federal, que mesmo lá atrás sempre manteve o pique e apostava em reação.

O troféu de mais ligado, com certeza, seria de Roberto Del Roy. O supervisor da Suzuki e que foi campeão Brasileiro de Motovelocidade há 35 anos, sabia os pontos e apostas de todos.



10 vezes na "mosca"

Gisela Vieira foi a melhor entre as 13 mulheres do Bolão, fechando em quarto lugar - foi quem mais esteve no pódio e que acabou fora dele. A advogada e comandante do Refogado do Sandi, bloco mais tradicional do Carnaval de Jundiaí, cravou dez resultados perfeitos nos 64 jogos, menos somente que o campeão Thiago Batista de Olim, com 14.



Que placar é esse? (1)

É o que deve estar se perguntando Sílvio Gebram. O dono da tradicional Gebram Corretora de Seguros é quem menos acertou na "mosca" entre os 41 palpiteiros. Foi uma vez só que marcou o placar exato.



Que placar é esse? (2)

Está certo que o futebol é uma caixinha de surpresas, mas alguns abusaram da sorte. O fotógrafo João Ballas, por exemplo, jogou Croácia 7 x 1 França na decisão, querendo que alguém passasse o mesmo vexame do Brasil em 2014. Não deu. Mas em se tratando de placares exóticos, ninguém superou a drag queen Fanfozo, que colocou, entre outros, Rússia 2 x 6 Senegal, Suécia 6 x 3 Coréia do Sul, Inglaterra 5 x 3 Suécia.



Bola certa

Se Thiago Olim fechou a primeira fase como o maior pontuador, nas seguintes não liderou - mas tinha tanta folga que ficou fácil com o 1º lugar.

Nas oitavas foi a advogada Ana Laura de Oliveira quem mais marcou: 12 pontos.

Depois, o máximo obtido foram 4 pontos... nas quartas, Crisol empatou com Kleber Silva, que vai receber o troféu de segundo colocado nesta terça-feira (17). Nas semifinais, Gisela e também Sílvia Orenga Sandoval, Cristina Zaba e Adílson Freddo se deram melhor. O mesmo Adílson, radialista da Difusora AM, junto com Luly e Ignezinha do Pandeiro foram os destaques nas finais.



Ah!, esse zap-zap

Sérgio Vitorino terminou na lanterna do Bolão e quanto sarro isso rendeu. Luis Claudio Tarallo mostrou aos amigos no alojamento de Jundiaí dos Jogos Regionais a situação do ex-goleiro do Paulista e todo mundo combinou de mexer com ele pelo WhatsApp. Ainda bem que Sérgio levou na esportiva.

O ex-goleiro, por sinal, foi quem menos somou pontos com a França durante o Mundial: simplesmente zerou. Jogou todas contra os campeões e se deu mal. Por outro lado, foi o único que somou ponto na vitória da Coréia do Sul em cima da Alemanha.



Nessa batida ela vai longe

Dona Ignezinha do Pandeiro nasceu na época de Leônidas da Silva. Ouviu pelo rádio o Brasil ser campeão em 1958 e aceitou o desafio do Bolão com uma certeza, o de não ficar em último lugar. Sua neta é quem acessava o site das apostas e a professora aposentada ia dando seus palpites. Foi tão bem que acabou em 29º lugar. Dona Ignezinha, nesta segunda (16), na saída de um banco no Centro, me disse: "Não esquece de me chamar na Copa do Qatar". Disse a ela que já está escalada para 2022!



Pode isso, Arnaldo?

Depois de Thiago, não foi nem Kleber Silva nem o terceiro colocado Val Junior quem mais partidas pontuaram. O campeão fez um ou três pontos um total de 37 vezes. Atrás dele estão empatados com 35 Mauro César Lopes e Vicente Ferreira.

Mauro, que é da tecnologia da informação do Wet'n Wild,  fechou em sexto lugar. Já Vicente, motorista da Prefeitura de Jundiaí e que entrou no Bolão por sorteio, ficou em 19º - é que só fez três partidas de três pontos.

Kleber e Val pontuaram 34 vezes cada.

Nós queremos é gol!

2.624 foram os palpites dados no Bolão do JundiAqui (64 jogos x 41 apostadores) e curiosamente o placar de 0x0 foi o que menos apareceu entre os que a gente pode chamar de "normal" - em comparação com 1x0, 2x0, 3x0, 1x1 e outros. A galera queria mesmo é bola na rede. Kleber jogou só uma vez placar em branco e Val Junior, nenhuma.

Festa nesta terça

A noite deste 17 de julho vai reunir participantes do Bolão para a entrega dos troféus. Vai ser no Casa Cica Bar e Cozinha (Rua Suíça, 47, Jardim Cica), a partir das 20 horas - com comanda individual.

Os troféus de 1º, 2º e 3º colocados são uma produção da Fierce Comunicação Visual de Renato Almeida Lopes.

 

Classificação final do Bolão do JundiAqui:

1º) Thiago Batista de Olim 
2º) Kleber Silva
3º) Val Junior
4º) Gisela Vieira
5º) Silvia Orenga Sandoval
6º) Mauro César Lopes
7º) Sandro Leonhardt
8º) Sandro Crisol
9º) Norberto Borracha
10º) Anelso Paixão
11º) Marcos César Duarte
12º) João Luis Tomazzoni
13º) Chistiane Grigoletto
14º) Luly Alves
15º) Mil Taroba
16º) Fanfozo
17º) Tainan Franco
18º) Osmar Arroyo
19º) Vicente Ferreira
20º) Cristina Zaba
21º) Ana Laura Oliveira
22º) Rivelino Teixeira
23º) Thaty Marcondes
24º) Mariza Pomílio
25º) Vitor Saiki Scarpinetti
26º) Adílson Freddo
27º) Manoel Granado Ruiz
28º) Nivaldo Mosele
29º) Ignesinha do Pandeiro
30º) Marina Dias Bianchini
31º) João Ballas
32º) Pedro Fávaro Junior
33º) Carlos Francês
34º) Luiz Carlos Trefilio
35º) Stella Fabiane Martinez
36º) Roberto Del Roy
37º) Zezé Ambrósio
38º) Henrique Parra Parra
39º) Silvio Gebram
40º) Abner Leandro
41º) Sérgio Vitorino.

Onde eu me fico? Embora não tenha publicado, por questão ética, também preenchi meu Bolão da Copa e teria ido bem na disputa, ficando no Top 10. Que venha 2022 e melhor sorte do Brasil!



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Dia 28 tem reflexão sobre envelhecimento e espiritualidade

Convidados do Revolução das Bengalas são Sueli Mozeika e Marcel Mendes

A culpa é sempre deles. Não nossa…

Por Marcel Capretz

Você adoça o Dia das Crianças e concorre a prêmios

Campanha arrecada caixas de bombons que serão doadas ao Grendacc e à Casa Transitória

Que Jundiaí mereça em 2018…

Por Guaraci Alvarenga Revitalização da Nove de Julho com o plantio de novas arvores e paisagismo, pois é o cartão postal de Jundiai ! O parque es [ ... ]
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.