Jundiaqui
Jundiaqui

Ex-Paulista sonha com vaga na fase de grupos da Champions

Jundiaqui
20 de julho de 2019
Márcio Mossoró, campeão da Copa do Brasil 2005, defende o vice turco Başakşehir

Na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões da Europa, o İstanbul Başakşehir conhece nesta segunda-feira (22) seu adversário dos próximos dois jogos para que realize o sonho de ir à fase de grupos da competição mais importante do Velho Continente.

O vice-campeão turco conta com três brasileiros, um deles que fez história em Jundiaí: o meia Márcio Mossoró. Os outros são o lateral-esquerdo Júnior Caiçara e o atacante Robinho, ex-Santos e Seleção Brasileira.

O time trocou de técnico - Okan Buruk é a novidade - e Mossoró vê como "fantástico" jogar a Champions diante dos gigantes europeus. Ano passado, a equipe morreu nas eliminatórias (caso se repita, vai para a Liga Europa).

Aos 36 anos, Mossoró disse ao site do "Lance!" que “seria uma cereja no bolo para começar a temporada bem”.

No sorteio, aparecem como cabeças-de-chave Porto (POR), Dynamo Kyiv (UKR), Basel (SUI), PSV Eindhoven (HOL), Olympiacos (GRE) e Viktoria Plzeň (CZE). O İstanbul Başakşehir está no segundo pote ao lado de Club Brugge (BEL), Krasnodar (RUS) e LASK (AUT).

COPA DO BRASIL 2005

A Copa do Brasil de 2005 foi apenas a terceira e última vez que um clube que não estava na Série A do Campeonato Brasileiro acabou como campeão do torneio. Naquele ano, o Paulista de Jundiaí era comandado pelo técnico Vagner Mancini e revelou como estrela o meia Márcio Mossoró, então com 22 anos. Brilhou ao lado do zagueiro Réver e do goleiro Victor, ambos do Atlético-MG, do volante Cristian, do atacante Finazzi e outros.

Ao site do "Globo Esporte" disse que nunca esquecerá o Paulista. "Foi o início de tudo na minha carreira. Depois de anos longe de casa, com o sonho de me tornar um jogador de sucesso, aquela conquista foi um divisor de águas para mim e para boa parte do grupo e sem dúvida foi uma passagem marcante".

Para chegar ao título, o Paulista não teve vida fácil. Eliminou Juventude e Botafogo nas primeiras fases de competição. Nas oitavas de final, o confronto foi com o Internacional e a vitória só veio nos pênaltis. Nas quartas de final, foi a vez de medir forças com o Figueirense e a passagem para as semifinais veio também na disputa por pênaltis. Aí foi a vez de duelar contra o Cruzeiro, o grande bicho-papão da Copa do Brasil, mas que não resistiu ao Galo em 2005.  A final contra o Fluminense terminou com uma vitória por 2 a 0 no Jayme Cintra e, com o 0 a 0 em São Januário, veio o título.

Do Paulista ele foi vendido ao próprio Inter, com quem venceu a Taça Libertadores da América de 2006. Foi para Portugal e jogou no Marítimo e no Sporting Braga, depois passando a defender o Al-Ahli da Arábia Saudita antes de chegar na Turquia em 2014.

Relembre a trajetória do campeão:

PRIMEIRA FASE

16 de fevereiro - Paulista 1 x 0 Juventude - Jayme Cintra
2 de março - Juventude 1 x 1 Paulista - Alfredo Jaconi

SEGUNDA  FASE

16 de março - Paulista 1 x 1 Botafogo - Jayme Cintra
6 de abril - Botafogo 2 x 2 Paulista - Maracanã

OITAVAS DE FINAL
21 de abril - Internacional 1 x 0 Paulista - Beira-Rio
5 de maio - Paulista 1 (4) x (2) 0 Internacional - Jayme Cintra

QUARTAS DE FINAL
11 de maio - Figueirense 1 x 0 Paulista - Orlando Scarpelli
18 de maio - Paulista 1 (3) x (1) 0 Figueirense - Jayme Cintra

SEMIFINAL

25 de maio - Paulista 3 x 1 Cruzeiro - Jayme Cintra
1º de junho - Cruzeiro 3 x 2 Paulista - Mineirão

FINAL
15 de junho - Paulista 2 x 0 Fluminense - Jayme Cintra
22 de junho - Fluminense 0 x 0 Paulista - São Januário.

Fotos: Reprodução Facebook
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Sucesso festa de Katia Parimoschi para lançamento de livro

Academia CinqClub ficou pequena para tantas pessoas que foram prestigiar a escritora

Parece que estão brincando com o Grendacc

Por Verci Bútalo

Domino’s: pizza preferida dos americanos agora no Beco Fino

Tem de brotinho a gigante em 26 sabores e três opções de massas. A entrega é em até meia hora dentro de Jundiaí

Literatura vive emoção em plena Festa da Uva

  No dia de abertura do evento, o estande da literatura de Jundiaí teve um momento inusitado
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.