Jundiaqui
Jundiaqui

Fábio Carille não é salvador da pátria

Jundiaqui
18 de dezembro de 2018
Por Marcel Capretz

O enredo do futebol brasileiro é composto por heróis. Personagens que tiveram destaque e conduziram suas equipes a vitórias e títulos. Historicamente, esses salvadores vinham na figura de jogadores: Pelé, Garrincha, Romário, etc, são lembrados até hoje por "ganharem uma Copa do Mundo sozinhos". É claro que dizer isso é muito raso, simplista e despreza toda a coletividade e rede de relações que envolvem um time de futebol. Mas de um jeito ou de outro a paixão do torcedor se alimenta por reverenciar essas grandes individualidades.

E de uns tempos para cá, outra categoria de profissionais passou a ganhar essa paixão desenfreada: os treinadores! Se relembrarmos que há algumas décadas, o bom técnico era aquele que 'não atrapalhava' e só 'distribuía coletes' é um avanço e tanto! E é com essa aura, de salvador da pátria, que Fábio Carille retorna ao Corinthians.

É claro que os resultados de Carille foram espetaculares no Timão. E ele ganhou com desempenho, convencendo, sendo melhor. A equipe corintiana campeã brasileira em 2017 e bicampeã paulista não dava espetáculo, porém mostrava uma consistência interessante com e sem a bola. E como toda análise deve ser complexa e multifatorial era interessante ver como Carille conduzia as relações com seus jogadores após vitórias e derrotas. Era tudo bem amarrado!

Mas, assim como na vida, no futebol o sucesso de ontem não é garantia de vitória hoje. Carille retorna ao clube não mais como um interino efetivado por falta de opção. Ele volta para ser o escudo mais garantido para uma diretoria fragilizada e que não tem a mínima condição se reforçar consistentemente o atual limitado time corintiano.

Carille terá que apresentar novas competências para um novo momento. E tenho dúvidas se o inesperado retorno, após um má sucedida carreira internacional. vai funcionar. Tanto para o clube. Como para o treinador. Sozinho, ninguém faz nada no futebol. Por mais ídolo que seja.

Foto: Reprodução Facebook
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Blocos têm que terminar Carnaval até oito da noite

Prefeitura dará banheiro químico e fará limpeza da rua ao final do desfile; locais dependem de aprovação

Lançamento de livro consagra 25 anos do Refogado do Sandi

“É delicioso fazer parte dessa linda história, agora registrada para a eternidade”, diz a primeira rainha do bloco

Friosinho combina com fondue e vinho no Casa Cica

Essa delícia é servida todas as noites e com desconto às quintas-feiras 

Com o pessoal de Velas do Japi curtindo a represa

Atividades com veleiros marcam a festa dos 14 anos do Parque da Cidade
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.