Jundiaqui
Jundiaqui

Não basta ter tecnologia, há de se ter competência

Jundiaqui
23 de novembro de 2017
Por Rafael Porcari

Incompetência, arrogância ou temeridade: qual o verdadeiro defeito demonstrado pelo árbitro chileno Julio Bascuñán para desprezar a utilização do auxílio de vídeo no primeiro jogo da final da Libertadores da América, Grêmio 1 x 0 Lanus, na noite desta quarta-feira (22)?

INCOMPETÊNCIA em não estar preparado para um jogo desse porte e não saber solicitar o vídeo no momento adequado? Faltou ao treinamento?

ARROGÂNCIA por não achar que precisaria da ajuda do vídeo e desprezar o equipamento, confiando excessivamente em si próprio?

TEMERIDADE em usar o equipamento e ter que mudar sua decisão inicial e ser criticado, alegando que só se socorreu ao vídeo por pressão do time da casa?

Enfim, faltou sensibilidade para não utilizar todos os equipamentos eletrônicos disponíveis. Mas pense: e por que o árbitro de vídeo não interpelou o árbitro nos dois lances de pênalti reclamados (o 1º duvidoso, eu não marcaria pois entendi tranco viril, mas legal; o 2º, em Jael, indiscutível que houve a infração)?

Teria o equipamento não funcionado corretamente e o árbitro de vídeo ter se constrangido?

Estariam alojados inadequadamente e a comunicação falhou?

Quis passar despercebido e não se comprometer?

Lembrando: toda a equipe de arbitragem foi composta pelo árbitro Júlio Bascuñán-CHI, pelo bandeira 1 Carlos Astroza-CHI, pelo bandeira 2 Christian Schiemann-CHI, pelo quarto árbitro Diego Haro-PER, pelo árbitro de vídeo Jesus Valenzuela-VEN, pelo assistente do árbitro de vídeo Roddy Zambrano-ECU e pelo bandeira de vídeo  Christian Lescano-ECU. Foram 7 árbitros de 4 nacionalidades.

FICA A OBSERVAÇÃO: no jogo entre Lanús x River Plate, péssima e decisiva atuação do septeto de arbitragem, usando (ou não usando) adequadamente os recursos eletrônicos. Agora, um desprezo total da ajuda externa permitida. Dessa forma, deixo a questão para a reflexão: de que adiantam as câmeras se quem as opera e assiste é incompetente?

Me parece que o recurso mais desejado é aquele utilizado diversas vezes no Brasileirão e visto claramente: o de “alguém soprar o lance após ver a imagem na Globo para o 4º árbitro”…

Importante: Bascuñán foi o árbitro de vídeo em Porto Alegre na semifinal jogada pelo Grêmio contra o Barcelona-ECU. Naquela oportunidade, ficou em um container no estacionamento do Estádio Olímpico. E isso me irrita! Todos deveriam estar em uma cabine com comunicação ABERTA ao público, como se faz no Rugbi.

Rafael Porcari é professor, comentarista esportivo e consultor sobre arbitragem
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Trio em Transe ‘original’ pra dar aquele balanço ao Estrela

Tom Nando, Daniel Busanelli e Claudinei Duran se apresentam na noite desta sexta

Tratamento Ortodôntico é com a Joy Care

Objetivo principal é restabelecer o perfeito alinhamento dos dentes inferiores com superiores, para a boa estética e a saúde bucal

Sabores tailandeses da 9 de Julho agora em promoção

Koh Samui traz um combinado de Pad Thai para duas pessoas, uma cerveja Singha e uma sobremesa por R$ 90,00

Exclusivo: Sábado de Aleluia do Chupa vai ser no Tênis Clube

Festa com a banda Trio em Transe está garantida neste 31 de março
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.