Jundiaqui
Jundiaqui

O mutante Corinthians

Jundiaqui
11 de maio de 2018
Por Marcel Capretz

 

O Corinthians nesses 16 meses com o técnico Fábio Carille no comando teve alguns jeitos de jogar distintos.

Começou o ano de 2017 usando muito bem a alcunha de 'quarta força' e fez disso sua linha mestra para se defender com extrema excelência e ser letal no contra-ataque. Dessa maneira ganhou o Paulistão e fez um primeiro turno inesquecível no Brasileirão.

Mas o ambiente mudou e os adversários entenderam que era melhor dar a bola aos corintianos e não tentar atacá-lo. Foi necessário, então, o Corinthians desenvolver ideias ofensivas para ter mais opções visando furar os bloqueios. Foi aí que as triangulações laterais capitaneadas por Fágner pela direita e por Guilherme Arana na esquerda mais as saídas da área de Jô para Jadson, Maycon e Rodriguinho infiltrarem por trás ganharam vida.

O ano de 2018 começou e Carille se viu sem Jô e Arana. Duas peças e duas funções que dificilmente seriam repostas a altura. Veio então a feliz ideia de não jogar com centroavante, centralizando Jadson e Rodriguinho. Esse conceito foi aplicado pela primeira vez no clássico contra o Palmeiras ainda na fase inicial do Paulistão e Róger Machado ficou atônito. Não soube como responder a esse estímulo. Em decorrência disso, o Corinthians faturou mais um Paulistão.

E eis que chega mais um ponto em que Carille terá que criar algo novo. As lesões de Fágner, Ralf, Renê Júnior e Clayson mais a saída de Maycon e a chegada de Róger indicam que novos elementos e novas interações serão criadas. Porque no futebol uma simples mudança pode causar uma nova ordem em toda a equipe. E pelo histórico de Carille dá para esperar coisa boa pela frente.

Marcel Capretz é comentarista esportivo
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Perna-de-pau, acrobatas e muita ousadia na festa do JundiAqui

Artistas se unem em uma apresentação de tirar o fôlego e que traz reflexão

“À Espera” é nova estreia nos palcos com texto de Sérgio Roveri

Dramaturgo jundiaiense traz agora a história de três personagens que podem estar em qualquer lugar, em qualquer tempo

Capitão Trovão

Por Vera Vaia

Arraiá do Celmi tem bingo para ajudar Julio Montheiro

Vai ser no dia 1º de julho, um sábado, com dança da quadrilha e muitas brincadeiras
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.