Jundiaqui
Jundiaqui

“É diferente de qualquer festa na cidade, porque é uma festa da cidade”

Jundiaqui
28 de janeiro de 2019
São muitas atrações para quem mora aqui e reencontra amigos ou turistas que descobrem as riquezas humanas e naturais de Jundiaí

José Arnaldo de Oliveira

A noite de sábado e o início da tarde de domingo são há 85 anos o ponto alto do público em eventos comunitários como a Festa da Uva. Não que os outros horários fiquem vazios – principalmente em um evento com tantas atrações.

Um jovem roqueiro elogiou o ambiente onde encontrou até blocos carnavalescos. “É diferente de qualquer festa na cidade, porque é uma festa da cidade”, afirmou sobre a mescla de artistas, entidades e produtores locais que já levou mais de 131 mil visitantes ao parque.

Já uma agente receptiva ligada às rotas turísticas da cidade disse ter atendido mais de 300 pessoas em apenas um dia – confirmando o interesse de moradores da cidade e região ao lado de turistas de outras cidades, estados e países.

Outro visitante destacava a alegria de ter participado de um workshop enogastronômico, um grupo menos numeroso que preparou receitas de coxinha de queijo e até pratos com uma argentina de origem finlandesa.

Realmente não faltam motivos para circular pelo parque ou, ao contrário, parar em uma conversa com alguém. Entre as cançonetas italianas ou as bandas de som mais elétrico de reggae ou rock, a moda chamada universitária dava lugar a surpresas com clássicos do sertanejo raiz.

A qualquer momento, entre ruas do parque tomadas por produtos típicos ou artesanais, entre coretos e espaços para crianças (bambinos) nos dois lados dos pavilhões, pode-se esbarrar com um cortejo de artistas fantasiados até com pernas de pau.

Esse é o encanto da festa. Os voluntários e participantes começam muito cedo a jornada, como no caso dos estandes de venda de frutas, nas barracas de comida ou suco, nos estandes das adegas de vinho. É preciso colher, preparar, transportar. Mas nem o cansaço apaga o sorriso e a simpatia que recebem os visitantes.

O resultado desse esforço é uma festa linda, onde é possível encontrar surpresas como mudas de plantas, livros de autores locais ou imagens gigantes das antigas estações de trem. Ou frutas premiadas expostas ao lado de uma réplica das primeiras vilas de colonos italianos – incluindo móveis originais emprestados por diversas famílias.

Pode-se até achar falta de um ou outro artista da cidade em meio a 150 atrações diferentes, o que só reforça a percepção de Jundiaí como um celeiro cultural. Ou esbarrar em pessoas, por exemplo, que apoiam ou rejeitam alterações em seu Plano Diretor, o que também reforça a noção de que a cidade se preocupa com seu futuro. O mais importante de tudo é que realmente se trata de uma festa da cidade – e não apenas uma festa na cidade.

Seja para quem mora na cidade e reencontra amigos ou para turistas que visitam Jundiaí e descobrem suas riquezas humanas e naturais, a Festa da Uva, que inclui a Expo Vinhos, é um dos grandes momentos do ano.

Confira o álbum do sábado (26) e do domingo (27) recheado de alegria.
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Brasil In Conserto pronta para grandes obras

Banda escolheu a Fepasa e seus velhos trens como cenário para uma prévia de seu novo show

Fé cega, faca amolada

Pelo Dr. Didi

Danilo Gentili diz que vai adorar se Jundiaí censurar seu filme

Ator veio ao Maxi Shopping para pré-lançamento de “Como se Tornar o Pior Aluno da Escola”

Recados à consciência

Por José Renato Nalini
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.