Jundiaqui
Jundiaqui

Jundiaí, a Terra da Uva, tem produção estável há 30 anos

Jundiaqui
12 de janeiro de 2019
Uma de cada três propriedades agrícolas do município produz a fruta, que tem aqui 10 milhões de pés

José Arnaldo de Oliveira

Embora alvo da pressão imobiliária da vizinha metrópole paulistana, a cidade de Jundiaí manteve boa parte de sua zona rural e, com o uso de novas tecnologias e métodos, compensou a redução de algumas áreas com um aumento de produtividade. “Temos hoje praticamente a mesma produção do final da década de 1980”, afirma o presidente da Associação Agrícola de Jundiaí, Renê Tomasetto (foto abaixo).

A Festa da Uva, que em sua edição de 2019 acontece de 17 de janeiro a 3 de fevereiro, divulga a estimativa de que 500 das 1,5 mil propriedades agrícolas do município produzem uva em 10 milhões de pés, correspondente a 30% de toda a safra no Estado de São Paulo.

A principal estrela dessa história é a variedade Niagara Rosada, surgida de uma mutação espontânea na cidade em 1933 e que originou a primeira festa no ano seguinte, ainda no Centro Histórico. Mas existem outras variações de uvas e outras frutas. A tecnologia é vista em casos como o cultivo de videiras em “Y” ou, no caso das adegas familiares de vinho, no pioneiro uso de um caminhão adaptado como envasador móvel.

Outros componentes dessa tradição, além da festa iniciada há mais de 80 anos, são a valorização crescente do turismo rural (com o recente surgimento de rotas turísticas), de um pequeno mas aguerrido movimento de produção orgânica e do papel das propriedades agrícolas na conservação ambiental da biodiversidade, dos mananciais de água, do clima local e das paisagens (prestes a testarem um projeto-piloto de pagamento de serviços ambientais, o PSA).

A importância do setor, reconhecida até no Plano Diretor do município atualmente em nova revisão, é reforçada pela sua presença em datas festivas locais com o lema de todos lembrarem do agricultor. Uma dessas ações é a “tratorada”, que se repete anualmente na própria festa, saindo às 10h do Paço Municipal com chegada prevista ao Parque da Uva às 11h - agora em 2019 será dia 19 de janeiro.

Os conceitos mais modernos como a enogastronomia (harmonização entre tipos de vinho e de comida) convivem nesse cenário com os costumes imemoriais (como não falar palavrão perto de um vinho em maturação). E desembocam no orgulho de ter uma uva perfeita, premiada na Festa da Uva de Jundiaí.

Tudo isso torna a uva Niagara Rosada e seus produtores locais, que da cidade se espalharam pelo estado e pelo país, um símbolo do equilíbrio que ainda resiste em Jundiaí entre um centro industrial e econômico pujante, uma zona rural com muitas tradições e uma área ambiental com forte presença da mata atlântica. É assim a Terra da Uva.
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Gala do La Bella Arte ganha palco do Polytheama

Foram 22 coreografias dos alunos da escola de balé da Vila Arens, um espetáculo cheio de magia

A invasão dos mestres-cucas

Thaty Marcondes escreve sobre os programas de TV cheios de “descozinheiros”

Maxi vem com workshop sobre harmonização de cerveja

Veja os cursos de agosto, que começa com dicas de doces para o Dia dos Pais

Entre parênteses amigos

Por Valquíria Malagoli
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.