Jundiaqui
Jundiaqui

A Academia Jundiaiense de Letras Jurídicas atinge a maioridade

Jundiaqui
13 de dezembro de 2018
Por Lucinha Andrade Gomes

“O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada, caminhando e semeando, no fim terás o que colher” - Cora Coralina

A Academia Jundiaiense de Letras Jurídicas foi fundada aos 13 de dezembro de 2000 com a missão de divulgar, incentivar e promover a arte literária jundiaiense, produzida por operadores de Direito na nossa querida cidade.

A constituição desta entidade cultural é fruto de um sonho arquitetado pela saudosa Mariazinha Congílio, João Carlos José Martinelli, Douglas Mondo, Alexandre Barros Castro, Claudio Antonio Soares Levada e por mim.

Academia Jundiaiense de Letras Jurídicas foi presidida pelos seguintes acadêmicos: Douglas Mondo, João Carlos José Martinelli, Claudio Antonio Soares Levada, Alexandre Barros, Simone Zanotello Oliveira, Tarcísio Germano de Lemos e por mim em duas oportunidades. Temos a honra em ter como Patrono o ilustre jurista Ives Gandra da Silva Martins e como Paraninfo o renomado jundiaiense José Renato Nalini.

A cerimônia de abertura foi realizada na sede central do Clube Jundiaiense com o salão repleto de profissionais do meio jurídico; o primeiro presidente Douglas Mondo declarou constituída a nossa associação. Estavam presentes, além dos fundadores os seguintes acadêmicos: Tarcísio Germano de Lemos, Valderez C. de Mello, Gustavo l. C. Maryssael de Campos, Guaraci Alvarenga, Mauro Vaz de Lima, Picoco Bárbaro, Jorge Souto Maior, Jorge Luiz de Almeida, José Luiz Gavião de Almeida, Sulaiman Miguel Neto e José Raul Gavião de Almeida, entre outros. Foi uma noite com muito glamour!

A primeira antologia foi lançada durante a gravação do programa "Conexão Japi", apresentado por Douglas Mondo, Claudio Levada, Picôco Bárbaro e Mauro Vaz. A segunda, coordenei com o editor Márcio Martelli e esta teve lançamento na Bienal do Livro em São Paulo.

Ao longo dos anos, temos caminhado no sentido de renovar os sonhos e esperanças dos sócios fundadores e em consolidar a Academia Jundiaiense de Letras Jurídicas como uma casa de cultura, que resgate o passado e discuta o presente, com um olhar prospectivo, em direção ao coletivo, ao social, ao solidário, ao mais justo e humano.

Ao olhar no retrovisor constato que vivenciamos momentos com muita atividade e, outros, com pouquíssima atividade, como é de praxe nas instituições acadêmicas com participações voluntárias. Confesso que ao longo dos 18 anos senti receio que o nosso sonho naufragasse! Eis que, ao completar 18 ela ressurge revigorada, inspirada pelo presidente Dr. Tarcísio Germano de Lemos, o nosso timoneiro!

Nesta noite de quinta-feira (13) iremos celebrar a maioridade com a presença de acadêmicos longevos e 12 ingressantes. Assim, a tradição e a inovação unem-se para fomentar a nossa trajetória.

Hoje, podemos com imensa alegria celebrar as conquistas efetivadas, graças ao empenho coletivo de todos os que reconhecem o valor do trabalho acadêmico desta instituição de cultura.

Estes são sonhos possíveis. Cabe a nós, acadêmicos, empregarmos a linguagem, para cumprir com o nosso dever ético de tornar a existência mais bela e fraterna.

Lucia Helena de Andrade Gomes é professora e advogada
Jundiaqui
Você vai
gostar de

“Sintaxe à Vontade” no pequeno sarau de Fernando Anitelli

Criador de O Teatro Mágico faz show acústico na noite de sábado em Jundiaí

Praça do Vianelo recebe Sarau das Mina

Coletivo Coisarada promove encontro nesta quarta-feira, às 18h30

O versátil feijão

Pelo chef Manuel Alves Filho

Finais da NBA: mais surpresas reservadas

Luis Cláudio Tarallo te chama para engrossar a torcida nesta temporada de recordes
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.