Jundiaqui
Jundiaqui

DIA DA MULHER \ Ariadne Gattolini virou notícia

Jundiaqui
8 de março de 2018
Jornalista se tornou editora-chefe do jornal em que começou como 'foca'

Ariadne Christie Tavares Gattolini é quem encara o desafio de levar o tradicional "Jornal de Jundiaí" a fazer diferente de outros que morreram nos últimos anos. É ela quem vem tocando o barco nessa travessia nem sempre tranquila do impresso para o on-line.

Com mais de cinquenta anos de existência, o "JJ" acaba de mudar seu visual tanto do jornal quanto do site, renovação comandada por Ariadne, que começou sua carreira de jornalista na empresa - na linguagem jornalística, como "foca".



Filha de Geraldo Gattolini, que fez história na Imprensa local, Ariadne passou por diversos veículos nestes 25 anos de carreira, como a "Folha de São Paulo", com vasta experiência em comunicação política e governamental.

Trabalhou também em assessoria de imprensa, comunicação corporativa e escreveu livros, entre eles dois que destacam mulheres excepcionais de Jundiaí, as educadoras Josette Feres, da Escola de Música, e Fernanda Milani, que dá nome à Galeria de Arte do Teatro Polytheama.

Jundiaqui
Você vai
gostar de

Estação Central de Trem é invadida

Espaço abandonado sob o viaduto da Torres Neves serve de abrigo para moradores de rua

Como sobreviver? É preciso ajuda da sociedade

Por Verci Bútalo, presidente do Grendacc

Vulcões ativos 

Que jogue a primeira pedra quem afirma não ter “buracos na alma” provocados por esse ou aquele acontecimento, indaga Cláudia Bergamasco

“Que Monstro te Mordeu?”, de Carla Candiotto, em cartaz até dezembro

Diretora jundiaiense leva para o teatro a série de TV recheada de bonecos
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.