Jundiaqui
Jundiaqui

DIA DA MULHER \ Cristina Harumi, amiga da onça que merece respeito

Jundiaqui
8 de março de 2018
Coordenadora da Mata Ciliar defende bravamente os animais silvestres

Cristina Harumi Adania ajudou a criar uma maior consciência sobre a proteção animal no Brasil. Sua luta nesse sentido já vem de mais de trinta anos, cheia de ações de coragem e determinação em defesa especialmente das onças que o bicho homem vive tentando matar.

A veterinária que é especialista em reprodução animal tem o nome associado não só à Mata Ciliar de Jundiaí mas também ao trabalho de proteção, resgate e conservação de animais silvestres, em especial os felinos por todo o Brasil.



Paulistana de nascimento, disse que foi envolvida pelo "cheirinho de Interior". Começou em Pedreira e depois se fixou em Jundiaí, cidade que atualmente não tem contrato com a Mata Ciliar, o que prejudica seu trabalho.

No zoológico de Pedreira, Cristina ajudou no nascimento de jaguatiricas, inclusive do primeiro bebê de proveta gerado de uma barriga de aluguel de um animal selvagem, no caso uma onça.



"Antigamente não havia a consciência de hoje. No primeiro resgate na Mata Ciliar, chamei várias pessoas e ninguém podia ir. Daí um policial foi categórico: se você não vier, vou meter bala. Encarei ajudar aquela onça e nunca mais parei", resume sua paixão por essa espécie.

A pesquisadora sugere que "todo mundo tem que deixar a vida urbana de lado e conhecer o ambiente e o meio ambiente, porque essa terra é da gente e só assim vamos saber como cuidar melhor dela."

A ONG Mata Ciliar fica no pé da Serra do Japi e recebe bichos silvestres, entre felinos, pássaros e répteis resgatados em locais de risco ou machucados e que ali ganham condições de se recuperar para um retorno à natureza - embora isso não seja uma verdade para todos, já que alguns chegam muito debilitados e necessitam de cuidados específicos para sobreviver.

Essa luta com unhas e dentes de Cristina em defesa dos animais é que a destaca neste Dia Internacional da Mulher.

Jundiaqui
Você vai
gostar de

Centro das Artes só volta se empresariado encarar custos

Cultura leva artistas ao espaço na rua Barão para que todos ajudem a mobilizar a sociedade 

Sem dizer adeus

Tic, tac, tic, tac… Adélia estava por um fio, a psicoterapia não ajudava, os problemas se avolumavam e o tempo rareava, escreve Cláudia Berga [ ... ]

MP questiona comissionados em 21 inquéritos civis contra Prefeitura

Governo de LFM terá que se explicar por conta da suspeita de contratações irregulares

Curiosidades do Bolão da Copa do JundiAqui

Sandro Crisol mostrou a maior reação; Gisela só acertou menos na “mosca” que o campeão; e 0x0 foi o placar mais raro
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.