Jundiaqui
Jundiaqui

DIA DA MULHER \ Sebastiana segurou as pontas em meio à tragédia

Jundiaqui
8 de março de 2018
Gebram passa dos 80 anos de história e muito dessa liderança regional em seguros se deve a ela

Edu Cerioni

Pensou em Gebram Seguros, logo vem à cabeça os nomes dos irmãos Silvio e Salim Filho. Mas foi dona Sebastiana, a mãe deles, quem encarou o maior desafio da empresa nestes seus 80 anos de mercado: mantê-la viva quando da morte repentina de seu marido, o fundador da organização. E ela não só segurou as pontas, como mostrou o caminho para o futuro.

A Gebram nasceu em 1936, com Salim Mussalam Gebram, que inovou ao ingressar no mercado de seguros, na época pouco explorado no Brasil. A empresa se manteve em constante crescimento, mas suas estruturas foram abaladas em 1964, quando da morte do pioneiro - chegou-se a cogitar o encerramento das atividades, o que não ocorreu por conta da força de uma mulher.

Dona Sebastiana Gebram arregaçou as mangas e foi à luta, dando continuidade ao projeto do marido. Foram anos assim, até que os três filhos assumissem a empresa - só Sérgio não continua nessa empreitada.

"O maior desafio foi tomar conta de algo que não conhecia", conta. "E sem descuidar dos filhos. Mas tive apoio dos amigos, das companhias de seguro e, mais importante, dos segurados. Os clientes não desistiram da gente e isso foi marcante".Dona Sebastiana recorda que o trauma pela morte do marido, repentina, inesperada, teve que ser superado com trabalho. "Não mudaria nada dessa história, tenho orgulho. Claro que para conciliar foi meio complicado, mas as crianças eram estudiosas e comportadas, o que facilitou. Fiz tudo com amor a essa profissão de corretora".

Hoje, a Gebram é a maior corretora de Jundiaí e região e uma das dez principais do país. E aos 96 anos, provavelmente dona Sebastiana seja a corretora de seguros mais antiga do Brasil, o que a faz receber essa homenagem do JundiAqui no Dia Internacional da Mulher.

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Guilherme Salas, em nova equipe, faz dupla com argentino na estreia

Piloto jundiaiense convidou Mariano Altuna. Stock Car começa dia 10 de março em Interlagos

Paz e esperança inspiram “O Menino e a Cerejeira”

Peça é atração para as crianças no Sesc Jundiaí neste domingo, às 16 horas

Outras línguas na contação de histórias nas escolas

Jundiaí recebe o projeto “Eu Conto, Tu Contas – Uma viagem pela América Latina”

Cartão vermelho

Por Vera Vaia
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.