Jundiaqui
Jundiaqui

Doutor Tarcísio chega aos 88 anos e vai encarar mais um júri. O último?

Jundiaqui
19 de abril de 2018
Advogado criminalista fará dobradinha com o filho Marco Aurélio nesta quinta

Edu Cerioni

Tarcísio Germano de Lemos aniversaria nesta quarta-feira (18). Chega aos 88 anos com festa, mas sem exageros. Na quinta (19) tem julgamento pelo Tribunal do Júri de Jundiaí, a partir das 10 horas, voltando a formar dupla com o filho Marco Aurélio. E quando tem Tarcísio na tribuna da defesa, são duas certezas: vai ser uma batalha daquelas e uma aula de Direito. Se vai ganhar é outra história, embora normalmente isso ocorra - pode não ser absolvição em todos os casos, mas penas mais brandas e em sua visão mais justas.

Doutor Tarcísio é o "vovô" dos tribunais de Jundiaí e disse a Marco Aurélio que vai se despedir nesta quinta, embora admita que esse é um vicio difícil de largar. "Ele já falou isso antes, mas agora parece ser sério", conta o filho. Marco Aurélio tem 57 anos e o pai passa dos 60 anos como criminalista, carreira que o tornou mito no meio jurídico jundiaiense. Encarou a oportunidade em uma época que, segundo recorda, ninguém queria defender os pobres - os advogados, que se contava então nos dedos das mãos, focavam nas áreas trabalhista, civil e administrativa.

Pai e filho vão defender um acusado de provocar uma morte no trânsito, que a dupla tentará provar não ter sido por uma vontade específica, como no caso de quem pega um revólver e sai para atirar, e sim um erro eventual. Uma "arma" para convencer o júri é conhecer cada pequeno detalhe do processo e outra é o dom de improvisar que o velho Tarcísio tem.



Marco lembra que ter o pai ao lado dá uma tranquilidade, porque a responsabilidade é grande neste momento em que não se pode errar. O que o "professor" ensina? "Nunca entre de corpo mole, porque você sai derrotado".

Nascido em Tietê, o viúvo de dona Therezinha diz ter mais advogados do que gente em sua família. Dos cinco filhos, quatro seguiram sua profissão. Além de Marco Aurélio, também Tarcisinho, Lia Valéria e Maria Elisa. A exceção é Jorginho. Tem ainda duas noras advogadas, Regina e Gisele, além de três netas, Rafaela, Luíza e Laura. E isso sem contar sobrinhos...

"Ele nunca nos cobrou seguir seus passos, foi uma escolha espontânea mas espelhada no sucesso dele, é claro", diz Marco, que em seu primeiro júri, em 1986, ouviu a seguinte recomendação do pai: "Conhece cada página do processo? Então, voa".

Três vezes presidente da OAB Jundiaí, a Ordem dos Advogados do Brasil, Tarcísio foi aconselhado por seu pai a treinar a oratória. Assim, em cada festinha da família ele acabava falando em alto em bom som. Aprendeu direitinho e isso lhe abriu também as portas da faculdade, dando aulas por mais de duas décadas, e da política.

Foi vereador - é autor do projeto que criou a bandeira e o hino da cidade. Também chegou a vice-prefeito de Walmor Barbosa Martins, dobradinha que ele se orgulha ter dado o inicio ao Distrito Industrial. Ocupou o comando da Guarda Municipal, entre outros cargos públicos. Faria tudo de novo? Difícil, pois diz que política hoje dá nojo. Para ele, só a educação pode salvar este país.
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Foge às palavras

Por Valquíria Malagoli

“Meu Pai Foi Ferroviário” tem histórias de portugueses agora

Lançamento da nona edição será em Portugal no dia 9 de junho no Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento

Jundiaiense Julio Machado é cangaceiro em “Entre Irmãs”

Filme teve estreia nacional nesta quinta, mas ainda não chegou a Jundiaí

Santa Fé leva sertanejo ao Happy Hour do Maxi

Cantor faz show acústico na noite desta terça-feira no shopping
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.