Jundiaqui
Jundiaqui

FMJ chega aos 50 anos com 2.581 médicos formados

Jundiaqui
10 de março de 2018
São 120 alunos por turma agora, sendo 30 por vaga; mensalidade é de R$ 5,6 mil

A Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ) festeja nesta segunda-feira (12) seus 50 anos de fundação. A primeira turma formada foi em 1974. Agora já totalizam 43 e 2.581 médicos graduados.

Com 135 professores - 84% titulados com livre-docência, doutorado ou mestrado - e outros 100 professores colaboradores voluntários, a FMJ teve cerca de 30 candidatos por vaga no último vestibular. São 120 os selecionados por ano.



Fundada em 1968, deu início a seu curso de Medicina apenas um ano depois de sua criação, e foi somente em 1973 que teve o reconhecimento pelo Ministério da Educação (MEC).

A partir de 1984, viveu a ameaça de fechamento, o que mobilizou a cidade contra o governo de André Benassi, que chegou a aprovar um projeto de extinção progressiva da FMJ na Câmara Municipal - cada vereador que votava sim recebia uma chuva de moedas por parte de alunos que lotaram o plenário. Foram anos complicados, com troca de diretores interinos e manobras para trazer alunos para o primeiro ano e manter as portas abertas, como ocorre até hoje.

No ano passado, recebeu o certificado de "Escola Médica Acreditada", por meio do sistema federal de avaliação. Além disso, foi aprovada em todas as edições do Exame Nacional de Desempenho do Estudante, o Enade.

Pelo RUF (Ranking Universitário do jornal "Folha de São Paulo"), a FMJ é a 96ª melhor faculdade de Medicina do país - leva em conta públicas e privadas, a partir de cinco indicadores: pesquisa, internacionalização, inovação, ensino e mercado.



A diretoria é composta pelos professores dr. Edmir Américo Lourenço (foto do alto), diretor, e dra. Celia Campanaro, vice-diretora. Será celebrada missa com o bispo Dom Vicente Costa, às 8h30 para celebrar os 50 anos de FMJ.

 

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Quem ousaria?

Por José Renato Nalini

Nazismo reciclado na telona do Moviecom Arte

“Bye Bye Alemanha” traz trapalhadas de um grupo de judeus depois da Segunda Guerra

Dia 25 tem Ademir da Guia no Sesc Jundiaí

Chamado de Divino quando jogador do Palmeiras, vem para clínica de futebol society

Silvio Gebram deu um chute na ‘mosca’; líder soma 12

Corretor de seguros somou pontos em 29 partidas da Copa, mas está longe de Thiago na classificação
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.