Jundiaqui
Jundiaqui

Sábado tem cadastramento de doador de medula óssea

Jundiaqui
2 de abril de 2018
Hemocentro da Unicamp realiza campanha em Jundiaí; é para quem tem entre 18 e 54 anos

Sábado (7) tem campanha de cadastramento de doadores de medula óssea, organizado pelo Hemocentro da Unicamp em parceria com o Hospital da Criança do Grendacc. Neste que é o Dia Mundial da Saúde, quem tem entre 18 e 54 anos pode ir até o Grendacc e se candidatar como doador. Vai das 9 às 13 horas.

O voluntário doa quatro mililitros de sangue apenas e entra para um cadastro nacional permanente, ou seja, quem participou de campanhas anteriores não precisa voltar. E este só vira doador para transplante se existir compatibilidade de 100% com o receptor.

O transplante de medula óssea é chamado de terapia celular.  Células progenitoras (células-mãe) do sangue, ou células tronco-hematopoéticas, de um indivíduo saudável, são transfundidas no paciente.

Requisitos para se candidatar como doador:

- Ter entre 18 e 54 anos;

- Estar em bom estado de saúde;

 

- Levar RG e CPF. Fornecer nome e telefone de duas pessoas para contato.

Atenção: não precisa estar em jejum nem agendar. É na avenida Olívio Boa, 99, Parque da Represa.

Antes de se voluntariar, lembre-se que está se candidatando a salvar uma vida mas que a doação é um procedimento médico. São duas as possibilidades:

- Punções na bacia: a medula é retirada do interior dos ossos da bacia por meio de punções com agulhas, um procedimento que dura 60 minutos e é feito com anestesia. A sensação de dor permanece em média por uma semana e é semelhante à pós-injeção de Benzetacil.  Não fica cicatriz, apenas a marca de 3 a 5 furos de agulhas. É importante destacar que o procedimento não envolve cirurgia, não há corte, nem pontos.  O doador fica em observação por um dia e pode retornar para sua casa no dia seguinte.

- Aférese: o doador toma um medicamento por cinco dias para estimular a proliferação das células-mãe. Estas células são retiradas pelas veias do braço do doador, semelhante à doação de sangue. O tempo estimado é de 4 horas. O medicamento ingerido antes da doação pode causar dores no corpo e fadiga.
Jundiaqui
Você vai
gostar de

No Koh Samui é temporada de comemorações

Aniversários e confraternizações movimentam restaurante da 9 de Julho, que terá pré-Réveillon

Sacicrioulo traz de Campinas a “Ciência de Chico”

Banda resgata carreira de Chico Science na Quinta Livre

Fagotista Fábio Cury será o solista do concerto deste sábado

A Orquestra Municipal de Jundiaí se apresenta de graça no Polytheama

FACTOIDE?

“Operação Rio” é tema para o Dr. Didi
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.