Jundiaqui
Jundiaqui

200 mil contos de réis para o terreno do quartel

Jundiaqui
6 de outubro de 2019
Por Vivaldo José Breternitz

Em 31 de março de 1942, o comandante da então 2ª Divisão de Infantaria do Exército oficiou ao prefeito Manuel Anibal Marcondes, pedindo que a Prefeitura de Jundiaí colaborasse com 200 mil contos de réis para a aquisição da antiga Chácara Rami, área onde viria a se instalar o atual 12º GAC, em festa agora em 2019 por conta de seu centenário.

Essa colaboração, vale lembrar, teria sido oferecida anteriormente pelo próprio poder público, e era muito dinheiro - para se ter uma ideia desse valor, o primeiro prêmio da Loteria Paulista à época era de 250 mil contos.

Dizia o ofício que o Exército pretendia instalar na área um Regimento de Artilharia de Dorso, unidade maior que o então Grupo de Artilharia de Dorso que estava sediado em nossa cidade.

No ofício, o comandante avisava que o dinheiro cedido pela Prefeitura retornaria ao município a um ritmo de mil contos ao mês, em função da presença de maior número de militares e vendas e serviços prestados à nova unidade.

A aquisição foi concretizada, não sabemos se com ou sem a cooperação da Prefeitura de Jundiaí, sendo que em 1943 o 2º GADo já se exercitava e promovia provas hípicas na área - a unidade utilizava equinos e muares intensivamente. Mas o regimento não se instalou - mudanças tecnológicas acabaram levando a unidade a se transformar, a partir de 1946, no 2º GO 155.

Algumas das edificações existentes na Chácara Rami foram preservadas: a principal, a casa sede, é ocupada pelo Hotel de Trânsito do GAC. No imóvel, residia a família Cardia, proprietária da Cerâmica Rami, depois Cidamar e hoje Roca.

O general Maurício José Cardoso, que assinou o ofício dirigido à Prefeitura de Jundiaí, teve uma carreira militar brilhante: maranhense, ingressou no Exército em 1895,  aos quinze anos, como soldado, servindo no então 5º Batalhão de Infantaria. Ali, atingiu a graduação de 2º sargento, tendo ingressado na antiga Escola Militar da Praia Vermelha em 1902; em 1906, foi declarado aspirante-a-oficial, já da Escola de Guerra de Porto Alegre. Promovido a segundo-tenente em janeiro do ano seguinte, tornou-se primeiro-tenente em junho de 1912. Era da arma de Engenharia. Seu mais alto cargo foi o de Chefe do Estado Maior do Exército; era General de Divisão, à época, o mais alto posto. Faleceu em 1968.

Foi também o idealizador do movimento para construção do monumento ao Duque de Caxias, em São Paulo, inaugurado em 1960 e de autoria de Victor Brecheret. Na foto abaixo, o general Cardoso com Getúlio Vargas, em 1938.



Foto mais ao alto de Arthur Henrique
Jundiaqui
Você vai
gostar de

O ponto fraco, da clave forte

Por José Renato Nalini

Startup Imóvel Lab ganha prêmio de R$ 10 mil em concurso da ACE

Kauê Romero Russo e Luiz Ferrari brilham com plataforma de busca de  imóveis em leilão

Chupa leva farra das baterias, em festão na Casa Cica

Ligia Ballas traz os melhores momentos da noitada do bloco de carnaval Chupa que é de Uva

Continuamos na Nossa apresenta sua Corte

Bloco da Ponte São João faz festa de olho no Carnaval de 2018
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.