Jundiaqui
Jundiaqui

Amigos que tenho, amigos que perdi

Jundiaqui
30 de outubro de 2017
Por Wagner Ligabó

Amigos que tenho, amigos que perdi, porém a necessidade de relembra-los sempre.

Quinta-feira (26) no Teatro Polytheama, ocorreu a sessão solene onde os vereadores homenagearam um rol de pessoas distintas pelo valor que elas representam como partícipes de uma sociedade do bem e, portanto, com o mérito de serem lembradas. Foram 38 merecidas lembranças.

Eu escolhi duas figuras amigas queridas: a professora-doutora, poetisa, colunista e tantas outras sensibilidades ligadas às letras, a especial Sonia Cintra, mulher do querido amigo, o grande arquiteto Araken. A festa era dela. Com luvas e tudo!  Ela foi ‘super’ como oradora da noite, representando todos os laureados.

Um discurso repleto de leveza, sensibilidade e graça. Uma ode à Jundiaí que ela tanto ama, mas não tinha a cidadania. Era um desejo de infância, de seus 13 anos, quando para cá se mudou. Falou sútil e delicada sobre a cidade, suas lembranças, seus logradouros, sua querida Serra do Japi. Incisiva e com leveza abordou cidadania verdadeira, algo tão em desuso e o perigo desta ameaça.

Ser jundiaiense? Agora és querida Professora. Estás tão feliz quanto eu estou.

E o que dizer do momento da segunda homenagem? Aquela quando entreguei a comenda póstuma à Vera, esposa do exponencial jornalista Sandro Vaia, que nos deixou em 2016?

Prometemos que seríamos firmes, emoção comedida. Mas chegada a hora da entrega somente o nosso olhar e as lágrimas de saudades se manifestaram enquanto passava rapidamente, segundos diria, em nossas mentes um filme de vida de uma amizade tão sincera e honrosa... é uma história de família.



Difícil escrever algo que possa descrever aquele momento. Nada se via, nada se ouvia a não ser a imagem daquele vasto bigode espalhado em franco sorriso na face do tão querido Sandro.

Foi um privilégio ser amigo do Sandro, “o jornalista”.

O Sandro, editor-chefe do "Estadão" e do "Jornal da Tarde", o Sandro escritor, o Sandro pensador, da opinião sintética, precisa.

O Sandro, ilustre cultural, que incomodava os incautos. O Sandro palestrino. O Sandro marido da Vera, pai da Giu e avô da Analu. Foi um momento de luz.

“Me perguntaram: quanto vale um amigo? Respondi; não sei. Os que eu tenho ganhei. Não estão à venda e não têm preço...”

Estou em paz...

Wagner Ligabó é médico cardiologista e vereador
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Véspera de feriado pra se embelezar e ajudar o Grendacc

São 21 salões de cabelo, estética e unha que estão na campanha “Glamour pela Vida”

Juliana Galdino nos 100 anos da Revolução Russa

Atriz que fez história em Jundiaí, lê discurso de Stálin para projeto da TV Folha

“O Encontro” de Heloisa Sandoval Gregori tem mostra em Campinas

Obra fala do entrosamento entre pedra e água e o movimento que esse encontro produz

O circo, Tonico e Tinoco e o futebol

Por Nivaldo Mosele
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.