Jundiaqui
Jundiaqui

Casa Independência deu lugar ao primeiro “arranha-céu”

Jundiaqui
21 de agosto de 2018
Por Vivaldo José Breternitz, do blog Jundiahy Antiga

A Casa Independência foi uma tradicional casa comercial de nossa cidade, fundada em setembro de 1922 por Nicolau Carderelli.

O anúncio abaixo, dos anos 1930, publicado pela revista "Sultana", que era editada em nossa cidade, mostra um pouco do que era vendido pela Independência: roupas, calçados, tecidos, "chapéos", armarinhos, perfumaria etc.

Muito interessante a informação de que o atendimento poderia ser feito em outros idiomas; não devia ser um atendimento muito eficiente, pois as menções a todos os idiomas estão erradas, em especial o "Esplek Inglis"...

A foto da fachada, lá no alto desta página, mostra como Carderelli era agressivo em termos de propaganda: falava em "grande queima", "tudo pelo preço de custo", "preços fixos" etc...

A loja situava-se na esquina da Rua Barão de Jundiaí com a então Praça Independência, hoje Praça Governador Pedro de Toledo, em frente da Matriz.

A Casa Independência, depois de deixar seu endereço original, ocupou um espaço bem menor na Rua Barão de Jundiaí.

Imponência

O imóvel original foi demolido e no terreno foi construído aquele que é considerado o primeiro grande prédio da cidade, o Edifício Carderelli, que tem como autor do projeto o arquiteto Vasco Antonio Venchiarutti, e na construção teve também a participação do construtor Giácomo Venchiarutti e do engenheiro Odil Campos Saes - a foto abaixo é da época da inauguração do edifício.

De estilo modernista foi inaugurado em 1950; com quatro andares e elevador, foi considerado, na época, um verdadeiro "arranha-céu" no centro da cidade.

O edifício, originalmente de uso residencial, hoje abriga escritórios e consultórios médicos. O prédio, que mantém o nome do antigo proprietário, Nicolau Carderelli, hoje tem o pavimento térreo ocupado por uma loja de calçados.

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Entende de matemática? Só assim para definir idade do cão

Cada ano nosso equivale a sete anos para um cachorro, certo? Não é assim tão simples, uma vez que varia de acordo com porte

Sinfônica volta 30 anos no tempo neste sábado

Orquestra Sinfônica de Santo André se apresenta no Polytheama, a R$ 10,00

Uma Argentina além do Tango, por Carlos Saura

Hermanos estão em cartaz no Moviecom Arte deste final de semana

A visão de Vera Gonçalves do Desfile de 7 de Setembro

JundiAqui te leva pra avenida Prefeito Luiz Latorre em giro fotográfico
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.