Jundiaqui
Jundiaqui

Depois do tornado, volta a memória

Jundiaqui
17 de abril de 2018
José Arnaldo de Oliveira escreve sobre Jarinu, que recupera sua praça e faz exposição na estação de trem

José Arnaldo de Oliveira

A velha estação de trens de Campo Largo, bairro de Jarinu onde passava a estrada de ferro Bragantina, abriga em maio uma exposição chamada "Revisitando a História" sobre a memória do local. Como um dos envolvidos com uma experiência positiva na cidade, sinto algo especial nisso.
Antes vale lembrar que isso é parte do ciclo de eventos de 69 anos do município iniciado no sábado (14) com a reabertura da maior parte da Praça da Matriz. Ela foi reconstruída com apoio de voluntários durante quase dois anos após ter sido atingida por um tornado em 5 de junho de 2016 (que também causou impactos em Jundiaí). Ironicamente, coincidiu com o Dia Mundial do Meio Ambiente.

Voltando ao tema: em 1997-98, fiz uma “ponte” entre pesquisadoras ligadas ao Centro de Memória da Unicamp, coordenadas por Margareth Brandini Park, e a equipe de professores da educadora local Lígia Lorencini Wild. De uma ideia inicial de publicação da história da cidade sugeri usar um projeto educacional e participativo. Acabou virando realidade nas escolas dos bairros, explorando a história oral de moradores e usando a tecnologia para escanear as fotos de famílias para a montagem de um acervo municipal que ainda não existia.

Sempre defendi que, se existe alguém que viu (por exemplo) a última onça em uma região, é uma pessoa idosa – muitas vezes inesperada.
A coisa é mais profunda. Em um país que foi o último do mundo a acabar com a escravidão e também a implantar universidades, muitos conhecimentos não estão na forma escrita. Por isso, os suportes devem incluir também o oral, assim como o audiovisual e o eletrônico. No âmbito ecológico, a diversidade cultural e a diversidade ambiental devem ser vistas juntas, formando a tal sociobiodiversidade.

Na educação ou em outras políticas públicas, a atuação por projetos permite o trabalho conjunto – seja chamado de multi, inter ou transdisciplinar.
Do pesquisador José Eli da Veiga até o escritor Ítalo Calvino, foram usadas referências muito agradáveis e criativas para lidar com os assuntos junto aos professores, estudantes e grupos de moradores antigos de cada bairro. E nesta região, por onde passaram gênios como Adoniran Barbosa, os sotaques locais ainda possuem singularidades positivas.

De minha parte, as reflexões compartilhadas em oficinas foram agrupadas nos textos O Meio Ambiente Transversal (no livro “Memória em Movimento na Formação de Educadores”, Mercado de Letras, 2000) e Suportes da Sustentabilidade (no livro “Formação de Educadores: Memória, Patrimônio e Meio Ambiente”, Mercado de Letras, 2003).

Depois do projeto, seguimos adiante. Fui levado por algum tempo para trabalhos junto aos povos da floresta da Amazônia, Margareth e mais outras da equipe como Renata Sieiro Fernandes avançaram em projetos como o Curumim, no Sesc, e as educadoras locais valorizaram a experiência na rede em Jarinu. Não sei quanto disso foi aproveitada para o novo evento dos dias 19 e 20 de maio, mas o interesse pela memória é evidente.
Quanto ao aspecto ambiental, a praça novamente bonita de Jarinu e trechos de replantio na zona rural de Jundiaí fazem dessa memória recente de um tornado mais um tema para pensarmos – e conversarmos com as memórias mais antigas. Tanto no ambiente como na memória coletiva, tanto nas ciências naturais como nas ciências sociais.
Jundiaqui
Você vai
gostar de

No meu tempo de menino

Eusébio dos Santos se coloca no lugar de um viúvo de 75 anos que tem nos netos sua grande alegria de viver

Tratamento de canal

Quando bem realizado, tem um índice de sucesso de mais de 95%

Filho da própria Esef, Davi Poit assume direção

É o primeiro formado da Escola Superior de Educação Física a assumir o posto em 45 anos

Festa da Uva de bola cheia no quesito diversão

Clara Cerioni traz um álbum de fotos de um final de semana animado em Jundiaí
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.