Jundiaqui
Jundiaqui

Estaçãozinha ganha placa e vai ter visita de escoteiros

Jundiaqui
25 de agosto de 2019
Por José Arnaldo de Oliveira

A campanha Estaçãozinha Pede Socorro, coordenada pelo Instituto Envelhecer, prossegue no Mês do Patrimônio com um chamado de apoio à votação do projeto de lei 12.965 agendado para esta terça (27), na Câmara de Jundiaí, para instituir anualmente o Dia do Patrimônio Histórico.

O projeto  foi apresentado pelo presidente da Câmara, Faouaz Taha, que lembra que a data nacional é comemorada na cidade desde 2013 ganhando, a partir de 2017, a extensão com o Mês do Patrimônio Histórico, que termina com encontro às 9 horas do sábado (31), com uma caminhada pelos trilhos da ferrovia saindo da Estaçãozinha e indo até o Complexo Fepasa.

E mais

Também já está marcado para 7 de setembro, no Dia da Independência, às 11 horas, o hasteamento da bandeira nacional com apoio do Grupo Escoteiro Serra do Japy.

Enquanto avançam aos poucos os trabalhos de limpeza, medição e coleta de depoimentos previstos na 2ª fase da campanha, o semestre ganha contornos também com um evento chamado "Estaçãozinha Sacode a Cidade”, no dia 8 de novembro, a partir das 15 horas, no Casa Cica Bar e Cozinha, com som ao vivo e um delicioso brunch.

A campanha, vale lembrar, completa seu primeiro ano no dia 13 de novembro.

Campanha viva

O Mês do Patrimônio organizado pelo Departamento do Patrimônio Histórico, da Prefeitura de Jundiaí, teve boa participação da campanha do Instituto Envelhecer – surgido dos vinte anos de atuação da Associação de Preservação da Memória da Companhia Paulista.

Um ato no dia frio de 3 de agosto emocionou os presentes com dança cigana, orquestra, maquetes, coral, podcast, carros antigos e autoridades e representantes da própria Prefeitura, da Câmara, da Assembleia Legislativa, do Congresso e apoio da Polícia Militar e Guarda Municipal.

No dia 21, em reunião do Conselho Municipal de Turismo, uma das placas da nova leva da Rota do Centro Histórico era a da Estaçãozinha.

Logo depois, no dia 23, o 7º Simpósio do Patrimônio teve a apresentação do trabalho “Paisagem Urbana e Memória Social: O Caso Estaçãozinha”, com a presença de Eusébio Santos, Admilson José Moraes, Andreia Chiqueto, Valdir Linardi, Cidinha Munarolo e minha também.

Entre os efeitos do trabalho, está também o aceno de professores da Fatec Jundiaí e da Unip Jundiaí para parcerias de cooperação.

Outra iniciativa também foi o encaminhamento ao Conselho Municipal do Patrimônio (Compac) do pedido de tombamento da Casa de Manobras, pois o inventário de proteção da cidade – embora não tenha sido suficiente para evitar o incêndio no imóvel federal da Estaçãozinha, agora cedido ao Instituto Envelhecer – não é citado no registro atual.

José Arnaldo de Oliveira é jornalista e sociólogo

 

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Brasil e o Pan de Lima: bons resultados

Por Luis  Cláudio Tarallo

Tem voz jundiaiense na premiada série de TV “Irmão do Jorel”

Hugo Picchi Neto é um dos dubladores do desenho animado, dando voz ao Nico

“436” é grito silencioso de alerta sobre desaparecidos durante a ditadura

Sesc Jundiaí traz exposição sobre os Direitos Humanos que coincide com performance de Alexandre D’Angeli

Sábado é dia de mobilização pela Estaçãozinha de trem

Ela tem importância história por ser a nº 1 da Cia Paulista rumo ao Interior e ideia é resgatá-la, como Jundiaí fez com o Polytheama
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.