Jundiaqui
Jundiaqui

Igreja de Vila Arens já sofreu com incêndio

Jundiaqui
5 de dezembro de 2019
Por Vivaldo José Breternitz

O ano de 1927 marcou o início da construção da atual Igreja Matriz de Vila Arens, tendo a inauguração ocorrido em 1934. A nova igreja substituiu a antiga, que ficava na Praça Quintino Bocaiuva, o Largo da Feira.

No dia 2 de maio de 1957, um incêndio causou grandes estragos na torre da igreja - aluno da Escola Paroquial de Vila Arens, lembro-me dos grossos rolos de fumaça que saiam da torre. O então menino Maurílio Ricetto, à época morador das Pitangueiras, lembra-se do vigário, Padre Alberto Betke, chorando ao seu lado.

O fogo começou por volta de 9h45. Uma grande quantidade de voluntários acorreu ao local, esvaziando a igreja, pois temia-se que o fogo atingisse o resto do prédio.

Empresas da cidade (Cica e Argos) que tinham brigadas de bombeiros acorreram em apoio aos bombeiros da cidade, mas foi necessária a ajuda de três guarnições de São Paulo, que melhor equipadas auxiliaram no combate ao fogo. Um desses voluntários ficou levemente ferido, tendo sido atendido peloServiço de Assistência Médica Domiciliar de Urgência, órgão que ficava no lado direito na descida da Rua Major Sucupira, após o quartel.

Os padres Paulo de Sá Gurgel, diretor do então Ginásio Divino Salvador e Ditmar Graeter, diretor do Seminário que funcionava no prédio do Divino, disseram acreditar que o fogo iniciou-se com um curto circuito na área do órgão da igreja, tendo as chamas subido pela torre e atingido o relógio, que ficou totalmente destruído, assim como a estrutura de madeira que sustentava os três sinos, que caíram sobre a lage de um dos andares da torre. O sinos, que pesavam 1.500, 800 e 300 quilos ficaram danificados.

Felizmente os danos foram apenas de ordem material, e algum tempo depois foram totalmente reparados.

Foto mais ao alto: Arthur Henrique/Imagens Aéreas. Foto de 1957: Acervo Sebo Jundiaí
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Nova galeria paulistana abre com mostra coletiva e equilibrista de Inos

O ítalo-jundiaiense é festejado na abertura da exposição que fica em cartaz até dia 30

Estaçãozinha ganha placa e vai ter visita de escoteiros

Por José Arnaldo de Oliveira

Tem Encontro do Clube do Carro Antigo de Jundiaí

  Vai ser no Parque da Uva, pelo 36º ano seguido e cheio raridades

Censo educacional da Jundiahy de 1920

Pelo Recenseamento Geral do Brazil, cidade tinha 40.269 habitantes, sendo que 15.365 sabiam ler e escrever
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.