Jundiaqui
Jundiaqui

INOS CORRADIN! E lá nave vá!

Jundiaqui
23 de abril de 2018
Por Wagner Ligabó

Pois bem. Resolveu-se então dar uma sacudida nos ares culturais de Jundiaí.
Nada mais justo que dentre estes ímpetos envolvam meu particular amigo Inos Corradin, o mago das telas, ícone jundiaiense.

Como um pouco de artista amador que sou, amante da música e da escrita, ando aborrecido. Os responsáveis pela cultura jundiaiense esqueceram de seus símbolos principais. O que falar, por exemplo, do Glória Rocha fechado até hoje? Falta dinheiro, Ok. Mas existem varias formas de fomento à cultura. É querer ir atrás.

E a praça no canteiro da avenida Jundiaí em frente à Festa da Uva, cartão de visita da cidade, onde se tem uma escultura enorme em bronze do Inos, que seria motivo de homenagem ao artista por seu amor à Jundiaí, e está lá sem vida e no mesmo improviso de quando, a toque de caixa, a instalaram há mais de 5 anos. Ninguém sabe o que é aquela esfinge gigante, sem cor e sem graça. Me incomoda. Muito.

Agora no aniversário do Parque da Cidade, que completou 14 anos, sua outra obra,"O Equilibrista", recebeu o tratamento merecido a este artista de coração gigante que tanto faz por Jundiaí com ações sociais sinceras e que não visam lucro. Ele não precisa. Um pintor reconhecido mundialmente pela sua obra inconfundível. Mas quer saber? O Inos é gente como agente, pode acreditar! Simples como se deve ser.

O Inos é um amigo com ideias e revelações de altíssimo nível, fruto da intelectualidade esculpida desde sempre e que se dissolve na simplicidade e humor sarcástico deste ítalo-jundiaiense de 89 anos, com disposição e garra de um garoto em idade madura. Não há quem não goste dele. É encantador seu modo de ser e agir com o próximo.

Sua mente é um dos maiores acervos culturais que já conheci. Discute e versa sobre literatura russa, germânica e brasileira com a desenvoltura de quem lê mensagens de Facebook; sua visão geopolítica atual e de outrora, tanto de Brasil como do mundo, é enriquecedora pela simplicidade; fala de cinema, música e pintura com extrema facilidade. Filosofa sorrindo como criança. Escolha um tema qualquer e ele versará com tranquilidade sobre o assunto e tem a humildade de perguntar caso não saiba. Se fosse aqui ficar enumerando o que dele sei após mais de 20 anos de convivência fraterna, me faltariam letras.

Sua maior virtude: sinceridade franca e arrebatadora e objetividade certeira. Olhar crítico milimétrico. Mais observa do que fala. Analisa e sabe calar. Sabe como ninguém separar o joio do trigo.

Quando de sua festa de aniversário de 80 anos no espetáculo musical no Glória Rocha, onde em sua homenagem se cantou Caymmi, seu amigo particular na sua estada de anos na Bahia, fizemos após o show um pacto de sangue: que o espetáculo dos seus 90 anos seria muito melhor sob todos os aspectos: sorte, beleza, vigor, fraternidade e muita saúde.

Nove anos se passaram já. Estamos muito próximos da nossa meta e até lá, quem sabe, tudo que lhe é merecido, e muito mais, não esteja como merece... Quem sabe até um novo Brasil?

Alguri!!!

Veja fotos da reinauguração de "O Equilibrista"

Wagner Ligabó é médico cardiologista e vereador
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Comerciantes vão até a PM para que Carnaval 2019 deixe o Centro

ACE, CDL e Sincomércio levam suas reivindicações ao tenente-coronel Henrique Neto

Formação de times campeões

Por Marcel Capretz

Primeira-dama do Estado traz padaria artesanal para cá

Lu Alckmin esteve em Jundiaí nesta quinta

Basquete: segundo esporte do Brasil?

Por Luis Cláudio Tarallo
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.