Jundiaqui
Jundiaqui

Jundiaí dá adeus ao pastor Oraci do Amaral, líder de O Brasil Para Cristo

Jundiaqui
17 de agosto de 2019
Ele tinha 71 anos, veio para cá no final dos anos 60 e ajudou a fortalecer a igreja pentecostal

Edu Cerioni

Oraci do Amaral nasceu em 16 de abril de 1948 em Piracicaba e morreu em 4 de agosto de 2019 aqui em Jundiaí. Deixou marcas como pastor e líder da igreja O Brasil Para Cristo na cidade e região nestas últimas três décadas.

Em 1994 recebeu o título de Cidadão Jundiaiense e em 2014, de Cidadão Varzino. Sua morte foi lamentada até na Câmara dos Deputados, em Brasília, lembrança de Roberto de Lucena, do Podemos de São Paulo, ecoando no programa de rádio "A Voz do Brasil".

Casou-se com dona Rosa em 1973 com quem teve três filhos, Leandra, Ricardo e Thiago.

Ele trabalhou na agricultura familiar até os 18 anos e veio para Jundiaí em 1967, um ano após a morte da mãe, dona Rosa. Com o pai, seu Mariano, foi morar na Vila Hortolândia. Foi metalúrgico na Vigorelli e na Krupp de Campo Limpo Paulista, depois passando a vendedor e, mais tarde, comerciante.

Conheceu o Evangelho por intermédio de O Brasil Para Cristo no começo dos anos 70. Passou a dar aula ministerial na Escola Bíblica para Crianças em 1977. Recebeu cinco anos depois a missão de presbítero, comandando a congregação do bairro do Retiro. Logo foi convidado a ser vice-liderança na região toda e assumiu como presidente da obra em 1987, sucessor natural com a morte do pastor Moacir Coco.

Liderou a igreja com dezenas de obreiros e templos espalhados por muitos bairros. Graduado em Teologia, deixou como legado inúmeros trabalhos sociais e evangelísticos, espalhando a mensagem de esperança ensinada por Jesus Cristo.

O Brasil Para Cristo tem 3 milhões de seguidores em cerca de duas mil igrejas no país desde 1955.

Fotos: reprodução Facebook
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Que beijinho doce…

Neste Dia dos Namorados, o JundiAqui chega todo apaixonado…

Sono financeiro

Por Pedro Braggio

A “Discoteca do Chacrinha” no embalo do Peama

Um espetáculo que revelou a capacidade de superação das pessoas, por meio da dança

A estrada da fúria

Pelo Dr. Didi
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.