Jundiaqui
Jundiaqui

A maior goleada da história

Jundiaqui
26 de janeiro de 2018
Por Nivaldo Mosele

Jogo: Campeonato LJF - ESTRELA x AUTOMÓVEL CLUBE

Local: CE. Pedro Raimundo

E foi assim...

Semifinais do 1º turno do Campeonato da Liga. Três equipes já estavam classificadas. A última vaga estava entre Estrela e Comercial, rigorosamente empatados em todos os critérios. Pontos ganhos, números de vitórias, saldo de gols e gols marcados.

Faltava só uma rodada, Estrela x Automóvel e Comercial x Duratex.

Os dois jogos no mesmo horário 10 horas. Um no Pedro Raimundo e outro no Primavera.

Só que, na quarta-feira que antecedia o jogo, surgiram boatos de que o Comercial já havia "acertado" com o Automóvel, para este abandonar o campo de alguma forma, não permitindo assim uma vitória com diferença de gols que classificasse o Estrela.

Diante dos fatos, o bairro se mobilizou rapidamente e a diretoria do time providenciou uma Kombi com alto-falante que já na sexta rodava nas ruas convocando a torcida para assistir ao jogo. Afinal, o time do coração seria eliminado.

A principal chamada: "O JOGO DO COMERCIAL ESTÁ ARRANJADO. VÃO ELIMINAR O ESTRELA!"

A Kombi rodou na sexta e no sábado o dia todo. Deu resultado. Mais de 1.000 torcedores estavam no Centro Esportivo. Os boatos se confirmariam. O Automóvel entrou em campo com apenas onze jogadores, um machucado, e sem nenhum reserva.

Começou o jogo e a bateria do Bloco Estamos na Nossa se posicionou estrategicamente no único portão de saída do campo. Uma faixa, no alambrado, chamava a atenção: "MELHOR NÃO DEIXAR O CAMPO".

Aos 10 minutos, Carlinhos faria o primeiro gol do Estrela. Antes de dar a saída, o jogador do Automóvel que já estava contundido sentou no gramado e, auxiliado pelo técnico, tentou sair. Mas logo foi aconselhado: "É melhor não sair e seja o que Deus quiser. Melhor ficarmos até o fim".

Dentro de campo, pude sentir de perto o desespero dos outros jogadores.
O árbitro não teve duvidas: segue o jogo. E os gols foram saindo 2, 3, 4, 5... 16, 25... Final: 31 x 1. Com 14 gols marcados pelo camisa 9 Carlinhos Tafarello. Outro recorde.

Discretamente apareceram por lá diretores do Comercial para saber do resultado. Inconformados, foram saindo de fininho, sem saber o que havia acontecido e com receio de serem vistos.

Com o time classificado, a festa acabou somente à noite no quartel general do Estrela, o bar do Ênio.

Em jogos oficiais até hoje permanece a dúvida: seria um recorde em todo o Brasil? No futebol mundial, a maior foi Austrália 31 x 0 Samoa Americana em 2001, pelas eliminatórias da Copa de 2002.

Nivaldo Mosele é comentarista esportivo 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Celeti com matrículas abertas para quem tem mais de 40

São mais de duas dezenas de cursos em diferentes horários no Parque da Represa

Feijoada da Apae tem Tom Nando no fogão e depois no palco

É neste domingo, no Caxambu, com convites à venda por R$ 60,00. O som é do Trio em Transe

Jogo dos amigos de Nenê será no dia 23 de dezembro

Desta vez, o meia do Vasco da gama terá pela frente o time do ator global Caio Castro

Tudo reflete em campo

Marcel Capretz escreve sobre o São Paulo e um ambiente tão pesado que ninguém se acerta mais
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.