Jundiaqui
Jundiaqui

Miriam Carvalho escreveu seu nome na história com agulha e linha

Jundiaqui
1 de março de 2018
Estilista costurou para diferentes gerações de noivas jundiaienses desde os anos 80

Miriam Carvalho morreu na última segunda-feira (26). Tinha 60 anos e uma história de mais de três décadas como estilista e costureira.

Desde os anos 80 manteve um ateliê no Centro, na rua Paula Penteado, e era reconhecida como uma especialista em vestidos. Os vestidos de noiva estão eternizados em fotos e vídeos e na memória de centenas de jundiaienses.

A filha Mara Isa é quem comanda o ateliê - ela estudou moda, diferente da mãe, que fez Biologia, mas se encontrou mesmo no corte dos tecidos e no trabalho primoroso com linha e agulha, muitos deles feitos madrugadas adentro.

"Minha mãe, onde passou durante sua trajetória, deixou sementes de amor, sabedoria e luz e eu não tinha a menor dúvida de quanto ela era amada por tantas pessoas", escreveu Mara na despedida pelo Facebook. Lembrou da acolhida do Hospital Pitangueiras, do Grupo Sobam, durante o longo tratamento contra um câncer e também da Abrapec.

Além do trabalho de alta costura, Miriam deixou um legado como fundadora da Casa Espírita Amor e Luz, na Vila Hortolândia.

Miriam também era mãe de Vanessa e Eriko e foi casada com Carlos. Na foto abaixo, ela em uma festa brega...



 

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

3 razões “óbvias” por trás da crise de segurança no Rio

Por Nelio Fernando dos Reis

Três filmes estreiam na cidade

  São eles: “Emoji – O filme”, “Atômica” e “Dupla explosiva”

Sexta pra recordar figuras de Angeli com os divertidos Parlapatões

Bob Cuspe, Rê Bordosa, Meia Oito e outros personagens ganham espaço no Sesc 

A maior goleada da história

Por Nivaldo Mosele
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.