Jundiaqui
Jundiaqui

Naquela mesa do Natura agora está faltando o Romeu

Jundiaqui
6 de setembro de 2017
Minuto de Silêncio resgata a história do ritmista que tinha lugar cativo no bar do Vianelo


ROMEU BUENO DA SILVA

*1954 +2017

Por Edu CerioniPra quem conhece o Natura, ouvir tocar "Naquela mesa está faltando ele" traz à lembrança, desde 27 de agosto, o Romeu.

Foi o dono de mesa e de cadeira cativas no boteco do Vianelo por anos e anos. E fez por merecer até placa exclusiva de reservado, porque distribuía religiosamente seu sorriso farto emoldurado por um bigodão a todos que entrassem no bar. Em noites festivas e nos finais de semana, não tinha Romeu sem o Natura e vice-versa. Vinho e Underberg

O mineiro Romeu Bueno da Silva nasceu em Camanducaia e escolheu a Terra da Uva para viver. Ou melhor, a terra do vinho. Foi vendedor da Cereser e do Passarim durante décadas e até que sofreu um AVC que lhe prejudicou os movimentos do lado direito do corpo.

O vendedor de vinho deu lugar a um boêmio, de bom papo e apreciador de Underberg, freguês que chegava ao Natura apoiado a uma muleta e que dirigia um carro adaptado até lá.

Ninguém tomou essa bebida alemã feita com ervas e raízes na festa de sétimo dia por sua morte, em 1º de setembro, uma sexta-feira que tanto amava e na qual completaria 63 anos. Mas só faltou mesmo ao Dori e a Solange servirem Underberg, porque no mais correu muita caipirinha, cerveja e o samba pediu passagem entre risos e lágrimas de saudade - em especial na hora do "Parabéns a Você"."Foi uma homenagem linda na segunda casa dele", conta a companheira de 30 anos Fátima Cândido.

Os dois namoraram por duas décadas e moravam juntos no Residencial Anchieta desde o AVC em 2008. E foi na sua "casa" do Vianelo em que passou mal e de onde foi levado ao hospital em 25 de agosto - foi feita uma cirurgia no intestino perfurado, mas ele não resistiu e morreu dia 27.

Eu sou do samba...

O problema de saúde não roubou o sorriso, mas tirou um prazer do ritmista Romeu. O samba batucava em seu coração.

Tocou no Samba e Água Fresca no final dos anos 70, a primeira formação daquele que depois virou Sombra e Água Fresca, entre outros. Era fera no reco-reco e no pandeiro.

Fez bailes de Carnaval. Bares como Barracão, Carinhoso e Cabana foram palco para mostrar seu valor, que vai ser relembrado pelo boco Ponte Torta em 2018. Assim, Romeu será eternizado como uma estrela do nosso Carnaval.



 

Fotos: Edu Cerioni

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Família: uma luz para a vida em sociedade (I)

Por Orestes Romano

Rudy e Reprise Inédita em junho no Grêmio

Promessa de casa cheia nos dois shows. Clube promove ainda baile e festa junina

Programe-se: o que vem aí na Netflix

Por Márcio Miguel

Di Fiori oferece gratuitamente exame de acuidade visual

Mas preste atenção é somente nesta quinta na loja da Chácara Urbana
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.