Jundiaqui
Jundiaqui

O adeus aos 100 anos da suíça que fez de Jundiaí sua terra

Jundiaqui
12 de setembro de 2017
Emílie Keller morava no Caxambu e veio ao Brasil aos 18 anos. Teve 5 filhos, 12 netos, 14 bisnetos e duas tataranetas

Uma mulher forte. Essa é a melhor definição para a centenária Emílie Keller, que morreu nesta terça-feira (12).

O corpo esta sendo velado no Centro, com enterro no Cemitério Nossa Senhora do Desterro marcado para as 17 horas.



Suíça de nascimento, viveu naquele país até os 18 anos, vindo depois para Jundiaí. Se estabeleceu com o marido Alfred no Caxambu, de onde a família tirou seu sustento.



A neta Valéria Oliveira lembra que dona Emílie perdeu o marido há 46 anos, "mas sempre manteve pulso firme na criação dos filhos e de todos os descendentes". E são muitos: teve 5 filhos, 12 netos, 14 bisnetos e duas tataranetas.

Valéria conta que um dos maiores prazeres da vovó era ouvir André Rieu. Colecionava os DVDs dele e os colocava para tocar dia e noite. Era no embalo das valsas vienenses que ainda curtia sua casa sempre cheia de netos, bisnetos...

Jundiaqui
Você vai
gostar de

“No Rastro do Cangaço” chega pelas lentes de André Dib

Exposição está em cartaz no Sesão de Jundiaí até junho, com entrada gratuita

Em temporada de Festa Italiana

O cardápio é variado e a preço justo. E sobra diversão no ritmo da boa música

DIA DA MULHER \ Sebastiana segurou as pontas em meio à tragédia

Gebram passa dos 80 anos de história e muito dessa liderança regional em seguros se deve a ela

Bentivi à tarde e Acústico Fino à noite na festa do Maxi

É na comemoração do aniversário de 28 anos do shopping nesta terça-feira
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.