Jundiaqui
Jundiaqui

Bolas fora

Jundiaqui
6 de julho de 2019
Por Vera Vaia

ASTRONAUTA!

Não tem uma semana que a turma lá de cima não chute a bola pra fora do gol.

O nosso presidente gosta mesmo de aparecer na mídia, e não se importa se parece ridículo aos olhos dos que não babam pelo bolsonarismo.

Mês passado sua foto pagando flexões (e mico) de terno e gravata, no Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro, em São Paulo, correu mundo e caiu na boca do povo. “Cena patética” classificaram alguns. “Tem menos neurônios que uma tomada de três pinos”, disseram outros.

Essa semana, para não sair da fila do mico, Bolsonaro posou para a foto dentro de uma “fantasia” de astronauta ao lado do Ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. (Sabe aquele painel do tipo bailarina de tango que tem na rua Caminito em Buenos Aires? Então era um desse tipo! Mas convenhamos, não dá pra resistir, né)?

Isso aconteceu na quarta-feira na embaixada americana em Brasília, em cerimônia comemorativa aos 234 anos de independência dos Estados Unidos. Evento esse que ele não podia deixar de comparecer, já que seus laços com o presidente americano estão cada vez mais estreitos. Aproveitou o momento para convidar o Trump pra tomar um café, sem toalha na mesa, acompanhado de pão com leite condensado, para discutirem como acabar com as ditaduras das Américas “sem viés ideológico”, claro! (Nunca contaram pra ele que viés ideológico existe dos dois lados)?

NAZISMO!

Pegou mal a homenagem prestada pelo Exército Brasileiro àquele major do exército alemão que tem um nome comprido.

Pra encurtar, Otto foi homenageado porque foi assassinado aqui no Brasil pelo Comando da Libertação Nacional em 1968, quando ajudava o exército brasileiro a combater os que lutavam contra a ditadura.

Isso provocou a emissão de uma nota de repúdio da Sociedade Israelita, uma vez que o homenageado já teria sido condecorado pelo próprio Hitler por ter se ferido na guerra enquanto comandava o pelotão de blindados da Alemanha Nazista.

Aqui não, pirulão!

CARLUXO!

O rei da cocada preta - ele se acha- Carlos Bolsonaro, mais uma vez andou alfinetando o general Augusto Heleno, o ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional, responsável pela segurança do Presidente).

Desta vez extrapolou e fez um comentário no mínimo indelicado diante de um fato tão grave como foi o suicídio do empresário Sadi Gitz após discurso do governador de Sergipe: “Mais uma falha de segurança. Seria bom a segurança do Presidente ficar mais atenta”, disse em postagem no twitter, do último dia quatro.

O comentário do filho enxerido do presidente mostra que ele não tem timing nem qualquer coisa que se aproxime de miolos. O empresário estava falido por causa do alto custo do gás e esse foi um ato de desespero que merecia pelo menos uma palavra de conforto aos seus familiares.

Ô Carluxo, um pouco de sensibilidade é bom e o povo gosta. Deixa pra esperar o Heleno na churrascada de domingo, talquei?

Vera Vaia é jornalista

 

 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Refogado une duas paixões jundiaienses dia 18: pizza e samba

Vai ser no Castro e com som de Tom Nando. Convites são limitados e estão à venda por R$ 40,00

Papai e Mamãe Noel já estão te esperando no Maxi Shopping

Tem parque de diversões, com escorregador, brinquedos eletrônicos, muitos ursinhos e uma decoração fantástica

Restauração dental é simples e necessária

Ação serve para acabar com cáries, eliminar as dores e melhorar a estética

Sucesso e fracasso deixam pistas

Por Marcel Capretz
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.