Jundiaqui
Jundiaqui

Cadê meu ovo de chocolate?

Jundiaqui
30 de março de 2018
Por Vera Vaia

Parece que nem a Semana Santa consegue trazer um pouco de boa fé aos homens de má vontade!

Pelo menos é o que se conclui com essa notícia, no mínimo revoltante, que veio de lá do município fluminense de Duque de Caxias.

A rede de ensino municipal distribuiu cenouras, eu disse cenouras, no lugar de ovos de Páscoa às suas crianças, que, supõe-se, sejam carentes e que só veriam um ovo de chocolate se ganhassem de alguém.

E cada uma delas recebeu duas cenouras embaladas num saquinho plástico, acompanhadas de uma receita de bolo. Os idealizadores do feito chamaram o kit de “Páscoa com Alimentação Saudável”, mas alguns estão preferindo chamar de Kit Pariu mesmo!

A desculpa dada?

Representantes do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação de Duque de Caxias disseram que foi pra evitar desperdício, já que houve compra em excesso do produto que normalmente é utilizado para a alimentação dos estudantes. A “compra em excesso” representa 23.190 quilos de cenoura, no lugar dos usuais 2.319 quilos. Mas quem iria perceber uma diferençazinha boba de 22 toneladas, némes?

Diante disso, o diretor do sindicato Marcos Lord levantou a lebre: “como a prefeitura não tem gestão para fazer o acompanhamento correto da compra? Essa compra em excesso já mostra um problema de gestão”. E aproveita pra reclamar que a folha de pagamento de fevereiro, às vésperas da Páscoa, ainda não foi concluída, que só 30% dos aposentados teriam recebido, que tem cooperativado com salários atrasados e que não deram nenhuma previsão para o pagamento do 13º.

Tá! Mas e daí? O que as crianças têm a ver com a péssima administração do município? Dar uma cenoura a elas, no lugar de um ovo de Páscoa, é o mesmo que dar um cacho de uva com a receita do vinho, para um apreciador da bebida. Vão se catar, cambada!

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação, disse que já despediu a nutricionista que se equivocou na hora de fazer o pedido, e que não houve prejuízo financeiro. (Ah, não?). E depois de lamentar o ocorrido, a secretaria ainda teve a cara de pau de dizer que “todos os produtos estavam aptos para o consumo”. (Não foi bem isso que disseram as mães entrevistadas. As cenouras, segundo elas, já estavam pra lá de Bagdá)!

O prefeito Washington Reis tirou o dele da reta, e disse que tudo aconteceu sem seu conhecimento, que a Secretaria de Educação teria agido aleatoriamente em relação à decisão, e pediu desculpas ao povo de Duque de Caxias, especialmente aos 80 mil estudantes e aos seus familiares.

Só que essas crianças não querem desculpas, seu prefeito. Elas querem OVO de CHOCOLATE! !

E quanto às cenouras excedentes, se vocês não sabem o que fazer com elas, certamente a população poderá dar bons conselhos de uso!

Assim, quem sabe, os “responsáveis” fiquem mais atentos na hora de comprar hortaliças, especialmente as de aspecto, digamos, mais fálicos, como as cenouras, os nabos, as mandiocas...

Vera Vaia é jornalista
Jundiaqui
Você vai
gostar de

O hashi

Por André Kondo

Crônica do Medo

André Kondo traz o texto vencedor do XII Prêmio FACCAT – Panorama 

Todas as cores desta cidade

JundiAqui traz dezenas de fotos de Maria Fernanda Cerioni na Parada LGBT

DIA DA MULHER / Michele deu toque cor de rosa às pistas de corrida

A nossa “Penélope Charmosa” comanda, com charme, máquinas de tirar o folego
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.