Jundiaqui
Jundiaqui

“O brasileiro não sabe votar”

Jundiaqui
3 de junho de 2018
Por Vera Vaia

Quando Pelé proferiu a célebre frase lá nos anos 70, foi massacrado pela mídia, sem dó nem piedade! Mas fez por merecer! Ele disse isso, quando foi perguntado sobre a decisão dos governos militares, de suspender eleições diretas para cargos do Executivo.

Foi mal, Pelé! A ditadura não era bem vista pela classe pensante. A maioria queria exercer o direito do voto. Mas agora, diante desse filme a que temos assistido ultimamente, até que a frase não cairia mal!

Não dá pra acreditar que certos políticos conseguiram se eleger e que estão lá agora gozando de todas as benesses que o cargo lhes permite.

Às vezes bate um desânimo, e fico me sentindo como a dona Cândida, personagem da "Escolinha do Professor Raimundo", lembram? Aquela que respondia, com orgulho, às perguntas sobre qualquer país do mundo, mas chorava quando tinha de responder às perguntas sobre o Brasil. Terminava sempre com um Buááá!

Voltando um pouco no tempo, vamos lembrar do primeiro mandato de Lula. Foi eleito legitimamente pelo povo, e nos primeiros anos de trono, até que foi bem na avenida. Pegou um país nos trinques, e deixou seu barco à vela, correr ao bel-prazer dos bons ventos. Em dado momento, porém, seu barco atracou no fim do arco-íris, bem debaixo da placa onde estava escrito Petrobras, e ele chegou ao tão esperado pote de ouro. E pior: percebeu logo que esse ouro era inesgotável!

O fato não demorou a chegar aos ouvidos do povo, mas mesmo assim Lula conseguiu se reeleger, e como se não bastasse, depois conseguiu eleger sua testa (leia-se cabeça) de ferro, Dilma Rousseff, por duas vezes! Aí a vaca foi pro brejo de vez! (Buááá!).

Será que o eleitor ficou mais atento depois disso? Sei não!

Essa greve dos caminhoneiros demonstra que o povo está atirando pra qualquer lado. Vimos movimentos de extrema esquerda e de extrema direita, unidos, irmanados, de braços dados, dois namorados, se juntando num uníssono Fora Temer, com o apoio de uma parte da população.

Ninguém parou pra pensar (na verdade até pararam, mas acho que não foi pra pensar) que Temer é só uma herança maldita de um governo maldito, e que ele está aqui de passagem e que seu prazo de vencimento expira ainda esse ano?

O que querem esses manifestantes? Que o Bolinha França, também conhecido como Rodrigo Maia, assuma o poder? (Buááá!).

Precisam de mais motivos pra chorar? Então acompanhem os resultados das últimas pesquisas eleitorais, com os nomes dos prováveis candidatos.
Na corrida para a presidência temos, (pasmem!) Lula em primeiro lugar e Jair Bolsonaro logo atrás! Isso significa que se Lula pudesse ser candidato, teríamos um presidente mais sujo do que pau de galinheiro, preso por corrupção passiva, formação de quadrilha e o caraleo a quatro? (Buááá!).

E a segunda opção? Elegeríamos um réu que responde a dois processos, um deles por incitação ao estupro, um xenofóbico, homofóbico, mulherofóbico, bichofóbico, etceterofóbico? (Buááá!).

E chorem também com as perspectivas que tem o Estado de São Paulo de eleger, desta vez, dois senadores! Sabem quem são os mais votados? Um é o eterno songomongo, que durante os 24 anos em que foi senador, só fez de pinico os ouvidos dos seus colegas cantando "Blowing in The Wind", nos intervalos em que tentava aprovar seu inviável projeto da Renda Mínima. Adivinhem quem é! (Buááá!).

O outro é o tiriricão José Luis Datena. Dá até pra imaginar essa pessoa, esbravejando, espumando e se dirigindo paquidermicamente ao presidente do Senado, com um “me ajuda ai, ô”. (Buááá!).

Fora isso, certamente, vamos reeleger aquelas eternas e velhas raposas, devoradoras de inocentes galinhas! (Buááá!).

Então, Pelé, se você disser, nesse momento, que o brasileiro não sabe votar, talvez até receba aplausos!

Vera Vaia é jornalista
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Cantora portuguesa faz show em Jundiaí na quarta

Eugénia Melo e Castro vem para o lançamento do álbum “Mar Virtual”

No caldeirão do bruxo, jazz é melhor que magia negra

Fábio Pescarini escreve sobre o show de Hermeto Pascoal no Sesc Jundiaí

A liderança de Tite

Por Marcel Capretz

Domingo com Chico Buarque e Vinicius de Moraes para crianças

Carlos Navas faz uma releitura de obras compostas pelos dois grandes mestres da MPB
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.