Jundiaqui
Jundiaqui

sem tempo a perder

Jundiaqui
26 de dezembro de 2018
Por José Renato Forner

existe uma história contada pelos vincos da pele.

pelo olho mais caído ou mais aberto.

uma quase esperança ou falta dela reveleda.

existe uma serenidade exposta em boca meio aberta.

ou a tensão e o desespero em dentes cerrados e lábios contraídos.

existe o desleixo de alma acusada em olhos vazios.

e também o transbordamento de vida em olhos que pulsam.

o rosto é mapa. é reflexo. beleza é semblante.

não esmorecer é ser modelo em passarela de descontentes.

como diria o poeta juvenil: "sempre em frente. não temos tempo a perder."
Jundiaqui
Você vai
gostar de

A partir de segunda tem vacina contra gripe para os cinquentões

Campanha gratuita de imunização nas UBSs também vai atender crianças de cinco a nove anos de idade

Sesc traz miudezas e grandezas da cultura brasileira e portuguesa

Exposição “Perambular” apresenta semelhanças e diferenças separadas pelo Oceano Atlântico

Cemitério para índios era para os lados da Serra do Japi

Curiosidades marcam nossa história, como na época em que bixiguentos acabavam onde hoje é o Anhangabaú

UTI Neonatal do HU permite acompanhamento dos leitos em 360º

Unidade reformada com verba federal e da FMJ estava em obras desde o ano passado
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.