Jundiaqui
Jundiaqui

sem tempo a perder

Jundiaqui
26 de dezembro de 2018
Por José Renato Forner

existe uma história contada pelos vincos da pele.

pelo olho mais caído ou mais aberto.

uma quase esperança ou falta dela reveleda.

existe uma serenidade exposta em boca meio aberta.

ou a tensão e o desespero em dentes cerrados e lábios contraídos.

existe o desleixo de alma acusada em olhos vazios.

e também o transbordamento de vida em olhos que pulsam.

o rosto é mapa. é reflexo. beleza é semblante.

não esmorecer é ser modelo em passarela de descontentes.

como diria o poeta juvenil: "sempre em frente. não temos tempo a perder."
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Um novo significado para a velhice

O jeito é se cuidar, porque passaremos mais tempo nesta fase do que em qualquer outra de nosso ciclo de vida

Modelo de jogo

Marcel Capretz explica o que fez com que o Corinthians passasse de quarta força à primeira

Jundiaiense e sua filha decepcionam nas eleições de Goiás

Depois de 5 mandatos seguidos na Alego, Isaura Lemos tentou em vão ir para Câmara Federal; Tatiana não herdou seus votos

A Suíça de Davi Chaim no Casa Cica

Veja como foi a abertura da nova exposição de fotos no bar e restaurante
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.