Jundiaqui
Jundiaqui

uma lembrança

Jundiaqui
24 de novembro de 2018
por José Renato Forner

na minha rua as pessoas se cumprimentam. vestem roupas leves e conversam entre os muros de suas casas.

na minha rua as pessoas se largam em cadeiras antigas e descascam laranjas na calçada irregular. falam de seus netos e seus avós. acariciam cachorros e se ouvem.

na minha rua tem uma menina de longos cabelos pretos. e olhos que convidam.

na minha rua finjo jogar bola. só porque ela é torcida. ela lá, em uma das calçadas.

na minha rua tem um sol com uma cor que é só dele. e ele é dia e é noite.

um dia/uma noite peguei na mão da garota e, sem falar nada, caminhamos em direção ao rei. ele brilhava mais forte que nos outros dias. quando chegamos no fim da rua nos ajoelhamos e pedimos a proteção do coroado.

o sol criou braços e tocou nossas curvas cabeças. e os vizinhos jogaram arroz. todos eles com sorrisos nas bocas e olhos fundos de futuro. e ergueu-se construção nova na minha rua. o muro baixo para passar a xícara de açúcar. uma casinha pequena de onde se ouvia "te amo" num sussurro.

e todo dia era dia de graças. e saudações ao rei amarelo.

José Renato Forner é ator 

Jundiaqui
Você vai
gostar de

Vila Rio Branco x Ponte São João: qual bairro é mais antigo?

Por José Arnaldo de Oliveira, do blog Jundiahy

Plástico gera polêmica na Câmara de Jundiaí

Por José Arnaldo de Oliveira

Foi dada a largada!

Por Vera Vaia

Se a vida te der ovos, faça um omelete!

Por Vera Vaia
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.