Jundiaqui
Jundiaqui

Acabando o ano

Jundiaqui
22 de novembro de 2017
Por Kelly Galbieri

Está acabando mais um ano... e parece que este passou mais rápido que o último. O último parece que passou mais rápido que o penúltimo, e assim os outros.

Será que estamos correndo muito ou assumindo compromissos demais para as nossas poucas 24 horas diárias?

Falo por mim... não tinha mais tempo para nada, nem cinema que eu tanto amo estava vendo mais. Até que no mês passado quase explodi. Aí acordei.

Quando chega esta época, sempre gosto de fazer uma avaliação de como foi meu ano. E este, em especial, tenho tanta coisa para lembrar...

2017, um ano que nunca mais me esquecerei. Na verdade, tive tantas conquistas, demonstração de amor e amizade que valeram muito a pena. O meu trabalho à frente da Assessoria de Políticas para Diversidade Sexual me trouxe tantas alegrias, tantos amigos novos e verdadeiros, tantas lutas que não conhecia, conhecimentos de uma realidade escondida ou não notada por mim, amor de familiares e amigos... caramba! Inesquecível!

Minha filha veio do Canadá para ficar uma semaninha mimando a mãe! A outra filha deixou de sair de casa aos finais de semana para estar ao meu lado. Dá para ser mais feliz que isso?

Mas também houveram momentos de decepção e dor. E não foram poucos. Este trabalho me fez ver que algumas pessoas humilham e destratam outras pelo simples prazer de se sentirem superiores ou de conseguirem “holofotes”.

Triste ver que quando conseguimos dar um passo em direção à igualdade de direitos, alguns falsos moralistas vêm para nos fazer dar dois passos para trás. E ainda, sem conhecer nossa história de vida, têm coragem de tentar manchar a trajetória de tantos anos.

Mas como digo, para uma pessoa ruim, outras dez aparecerem ao meu lado. E, graças a Deus, vou fechar o ano com saldo positivo; e mais forte, cheia de ideias e ideais para a comunidade LGBT e para todos aqueles que vivem em instituições de acolhimentos, prontos para serem adotados por uma família, seja ela como for.

Hoje são as duas bandeiras que levanto: a Diversidade Sexual e a Adoção. E independente das dificuldades que possa enfrentar com o preconceito que ambos sofram, há também muita gente engajada na defesa deles.

Que venha 2018 e que Deus traga um olhar de verdade e amor a todos estes intolerantes que ainda podem aprender com o amor! Estamos aqui para compartilhar experiências e amizade para construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

É assim que imagino minha Jundiaí, minha São Paulo, meu Brasil, o mundo!

Kelly Galbieri é advogada
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Leão ganha essa de longe do Tite…

Por Rafael Porcari

“Brechas” reúne trabalhos de 25 artistas na Galeria do Polytheama

Mostra tem pinturas, desenhos, esculturas e fotografias de Cecília Celandroni e outros

Nos 28 anos do Trio em Transe, com MPB, suor e cerveja

Aniversário ferveu na noite de sábado, com muitos fãs e aquela folia que é marca registrada da banda

Cláudia Bergamasco traz a sustentabilidade sem mimimi

Mostra+Sustentável prova que é possível aliar beleza, conforto e muita criatividade com sucatas e rejeitos da indústria
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.