Jundiaqui
Jundiaqui

Ideias fofas

Jundiaqui
24 de setembro de 2017
Por Lúcio Dutra

Como alguém pode ser contra ideias fofas? Previdência para todo mundo com aposentadoria antes dos 60 anos e salário integral; leis trabalhista que garantam direitos de antigamente num mundo mudado; minorias com direitos sobre as maiorias; livre manifestação etc. É o mundo fofo que produz ideias fofíssimas.

Veja a previdência: seria ótimo se todos pudessem se aposentar ainda saudável, com um salário igual ao da ativa, com bastante tempo para cuidar de sua saúde, se dedicar à família e curtir atividades culturais e de lazer. Mas de onde virá o dinheiro para bancar esse estilo de vida? Porque, como sabemos, tudo tem custo, inclusive as coisas fofas e bem intencionadas.

Hoje o que vemos é um sistema falido com os trabalhadores privados sustentando os privilégios de uma casta de funcionários públicos que recebe o melhor da previdência sem retribuir à população com serviços de boa qualidade. Não é fofo: a população pobre sustentando a elite que fez concurso público.

E lá vamos nós para a rua parar violentamente o país dizendo que fazemos porque a reforma tirará direitos dos pobres. Ironia né?! Os pobres perderão com a reforma e vão apoiar greves para garantir a manutenção da boa vida da elite, sob a falácia de que a reforma prejudica os... pobres. Não é fofo?

E a leis trabalhistas? Que bom seria se todos pudessem ter bons empregos, com estabilidade, salário com padrão europeu, amplos intervalos de descanso para que pudesse curtir o lazer, a cultura e a família, não é? Não seria muito bom se a gente ganhasse a vida trabalhando no que gosta e da forma que gosta? O problema é que faltou combinar com os russos. Aqui nesta vida isso não vai acontecer para todos.

Enquanto não acontece, vamos pichar prédios públicos, incendiar ministérios, brigar com policiais... Sempre liderados por uma elite sindical que – veja só – tem estabilidade.

Um bando de inocentes úteis que ataca e apanha da polícia pensando estar defendendo seus direitos quando na verdade está protegendo o atraso, dificultando a retomada do crescimento do país e... Garantindo o imposto sindical obrigatório. Esse sim o verdadeiro motivo das centrais sindicais gastarem tanto dinheiro para bancar manifestações desse tamanho com pessoas transportadas do Brasil todo e com todas as despesas pagas para gritar "Fora, Temer!", tudo em nome da manutenção de velhas leis trabalhistas. Mas quem pode ser contra ideias tão fofas?

Tem também o Dória, uma espécie de Geni da vez, que teve a ousadia de remover um bando de viciados do centro da cidade de São Paulo. Geni porque os drogados são uma das mais novas trincheiras dos fofos. Pessoas que moram na região não saem de suas casas em paz, ruas sujas e fedendo a urina, imóveis desvalorizados e depredados, estabelecimentos comerciais com prejuízo por que os clientes desapareceram, aumento de furto, roubos, agressões, tráfico e morte. Mas nada disso conta. O que conta para os fofos é a garantia de que os “nóias” possam se drogar com segurança e proteção do Estado.

Não é fofíssimo? O Estado garantido direito para quem se recusa a ser cidadão e desprezando os direitos do cidadão que trabalha, paga impostos, respeita a lei e não sustenta traficantes.

Alias como disse candidamente uma pessoa que conheço: eles não são traficantes, eles apenas vendem para poder comprar suas drogas. Não é uma coisa fofa: traficar não é traficar... Viva Orwell, 1984 chegou!

Infelizmente não podemos continuar a lista das coisas fofas, até porque daqui a pouco os fofos vão me xingar de machista, homofóbico, racista ou qualquer coisa parecida, porque também é muito fofo encerrar um argumento com um xingamento genérico que não se sabe muito bem o que quer dizer mas sabe que serve para ofender. Na falta destes xingamentos tem a super, mega, blaster e atual ofensa mor: ‘fascista’. Que os fofos utilizam a granel quando são contraditos. Não sabem muito bem o que significa, mas isso já é esperar demais dos fofos.

Lúcio Dutra é empresário

Jundiaqui
Você vai
gostar de

Sem beijaço no Paço, sem drags na praça e Jesus trans proibido

Grupos cristãos mudam programação da Semana da Diversidade Sexual

Em 1818 Jundiaí já mostrava sua vocação…

… para centro logístico e industrial, como mostra Vivaldo José Breternitz nessa viagem pelo tempo

Ligabó aponta urgência de prontuários eletrônicos em UBSs

Médico e vereador concluiu a primeira parte do mapeamento das Unidades Básicas de Saúde de Jundiaí

Sorte da Copa da Rússia. Ele vai…

Por Nivaldo Mosele
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.