Jundiaqui
Jundiaqui

Mais de 400 milhões de animais silvestres atropelados neste ano

Jundiaqui
30 de outubro de 2017
Por José Arnaldo de Oliveira

O Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia das Estradas (CBEE) mantém um placar online chamado de “atropelômetro”. Com a média de 15 animais silvestres atropelados a cada segundo nas estradas do país, ou mais de 1 milhão por dia, o número superava às 11h50 do dia 27 de outubro o número de 388 milhões de animais mortos – e vai ultrapassar em novembro a marca de 400 milhões.

A região que se orgulha do maior número de rodovias e veículos, o Sudeste, concentra também o maior número de mortes. E o campeão é exatamente o Estado de São Paulo.

Quem morre mais nessa conta gigantesca? De acordo com o projeto, 90% são os pequenos vertebrados como os sapos, ouriços, pequenas aves ou lagartos. Em seguida, com 9%, são os médios vertebrados como os pássaros maiores, lebres, gambás ou macacos. E em seguida, 1%, são os grandes vertebrados como as onças, lobos-guarás, antes ou preguiças.

Vale lembrar que cada ponto percentual é contado a partir do milhão. A iniciativa do CBEE, criado originalmente na Universidade Federal de Lavras, envolve apenas vertebrados terrestres (não considera, por exemplo, invertebrados como borboletas).

O método foi gerado a partir de 14 artigos científicos feitos em vários biomas do país e derivou para uma taxa de atropelamento médio que, entretanto, usa como base a maioria de rodovias federais de pista simples. Muitas rodovias estaduais e municipais, assim como estradas de terra, tiveram taxas menores. De qualquer forma, os números são impactantes.

O trabalho do centro origina-se do programa de pós-graduação em ecologia aplicada da UFLA, que desenvolve três linhas de pesquisa dentro da área de concentração principal de ecologia e conservação de recursos naturais em ecossistemas fragmentados e agrossistemas.

Se quiser colaborar com o esforço sobre o assunto, acesse https://sites.google.com/ecoestradas.org/urubus/

Saiba mais: http://cbee.ufla.br/portal/atropelometro/index.php.

José Arnaldo de Oliveira é jornalista e cientista social
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Gebram ganha mercado e compra a Toleman Corretora de Seguros

Líder regional em seguros amplia sua carteira de clientes

Há dez anos jundiaiense foi vítima do maior acidente aéreo do Brasil

Em 17 de julho de 2007, o país chorou pela morte de 199 pessoas, entre elas a de Rodrigo Benachio

Quem não muda, dança!

Por José Renato Nalini

Alvarez confirma leilão de uvas premiadas

Novidade chega com a 35ª edição da Festa da Uva, com dinheiro revertido para o Funss
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.