Jundiaqui
Jundiaqui

O dedinho do Neymar

Jundiaqui
9 de março de 2018
Por Guaraci Alvarenga

Salário mínimo: aumento é de R$ 17,00, indo a R$ 954,00 em 2018.

Preço do combustível: ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil é condenado a 11 anos na Lava Jato. Aldemir Bendine foi condenado por Sérgio Moro pelos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Preço dos remédios: ministério vê superfaturamento em compra de remédio de Cuba. Um acordo entre Brasil e Cuba para aquisição e posterior produção de alfaepoetina, substância indicada para tratar pessoas com problema renal crônico, fez com que o Ministério da Saúde comprasse ao longo dos últimos 12 anos o medicamento com preços superfaturados, aponta a área técnica da própria pasta.

Estádios da Copa: PF faz buscas na casa do ex-governador Jaques Wagner, da Bahia, em investigação sobre superfaturamento na Arena Fonte Nova.

Fisiologismo: a advogada Samantha Ribeiro Meyer, ex-mulher do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, foi nomeada para cargo de conselheira da Itaipu Binacional, empresa que controla a hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR). A nomeação, assinada pelo presidente Michel Temer e pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, foi publicada no "Diário Oficial da União". O ministro Gilmar Mendes disse, por meio de sua assessoria, que não vai comentar a nomeação.

Juiz singular: Sergio Moro visitou o México para falar sobre a importância da luta contra a corrupção. O juiz brasileiro, que desde 2014 dirige a operação Lava Jato, responsável por 118 condenações, incluindo a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deixou uma mensagem de que é possível romper a inércia que parece enraizada nas nações. “A corrupção sempre existiu e existirá, mas o que devemos fazer é romper as regras da impunidade”, disse o magistrado da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Imposto de Renda: o orçamento de 2018, já aprovado pelo Congresso Nacional, não prevê a correção da tabela do Imposto de Renda das pessoas físicas, informou a Secretaria da Receita Federal. A tabela foi corrigida pela última vez em 2015. Portanto, com 2018, são três anos sem o ajuste. Segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional), nos últimos 20 anos não houve correção da tabela do IR em quatro governos diferentes. No acumulado de 1996 a 2017, a defasagem é de 88,4%.

Pressão dos condenados perigosos: a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, negou que a nova condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vá fazer a Corte rediscutir a autorização de prisão após decisão de segunda instância. Na avaliação da ministra, tomar uma decisão em virtude do caso de Lula seria “apequenar” o STF. Ela negou que vá pautar esse tema em fevereiro. “Não entendo porque um caso específico geraria uma pauta diferente. Seria apequenar muito o Supremo. Não conversei sobre isso com ninguém”, alegou, durante jantar com empresários em Brasília.

Noticiário geral: e por incrível que pareça, a nossa preocupação é com o dedo “mindim” do Neymar. Desperta gigante deitado eternamente em berço esplêndido!

Guaraci Alvarenga é advogado
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Crônica da Cozinha – Socorro online

Por Manuel Alves Filho

Makossa leva seu balanço ao Haules sábado e Natura, domingo

Rafael, Gilson, Cléber e Dago Nogueira fazem show com proposta de colocar a galera pra dançar

As emoções vividas no Ano Jubilar da Diocese de Jundiaí

Pelo Bispo Dom Vicente Costa

Christiane Grigoletto vem colorir nosso dia

Artista plástica chega ao JundiAqui em pinceladas vibrantes e das mais variadas cores…
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.