Jundiaqui
Jundiaqui

O dedinho do Neymar

Jundiaqui
9 de março de 2018
Por Guaraci Alvarenga

Salário mínimo: aumento é de R$ 17,00, indo a R$ 954,00 em 2018.

Preço do combustível: ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil é condenado a 11 anos na Lava Jato. Aldemir Bendine foi condenado por Sérgio Moro pelos crimes de corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

Preço dos remédios: ministério vê superfaturamento em compra de remédio de Cuba. Um acordo entre Brasil e Cuba para aquisição e posterior produção de alfaepoetina, substância indicada para tratar pessoas com problema renal crônico, fez com que o Ministério da Saúde comprasse ao longo dos últimos 12 anos o medicamento com preços superfaturados, aponta a área técnica da própria pasta.

Estádios da Copa: PF faz buscas na casa do ex-governador Jaques Wagner, da Bahia, em investigação sobre superfaturamento na Arena Fonte Nova.

Fisiologismo: a advogada Samantha Ribeiro Meyer, ex-mulher do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, foi nomeada para cargo de conselheira da Itaipu Binacional, empresa que controla a hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR). A nomeação, assinada pelo presidente Michel Temer e pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, foi publicada no "Diário Oficial da União". O ministro Gilmar Mendes disse, por meio de sua assessoria, que não vai comentar a nomeação.

Juiz singular: Sergio Moro visitou o México para falar sobre a importância da luta contra a corrupção. O juiz brasileiro, que desde 2014 dirige a operação Lava Jato, responsável por 118 condenações, incluindo a do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deixou uma mensagem de que é possível romper a inércia que parece enraizada nas nações. “A corrupção sempre existiu e existirá, mas o que devemos fazer é romper as regras da impunidade”, disse o magistrado da 13ª Vara Federal de Curitiba.

Imposto de Renda: o orçamento de 2018, já aprovado pelo Congresso Nacional, não prevê a correção da tabela do Imposto de Renda das pessoas físicas, informou a Secretaria da Receita Federal. A tabela foi corrigida pela última vez em 2015. Portanto, com 2018, são três anos sem o ajuste. Segundo o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional), nos últimos 20 anos não houve correção da tabela do IR em quatro governos diferentes. No acumulado de 1996 a 2017, a defasagem é de 88,4%.

Pressão dos condenados perigosos: a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, negou que a nova condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vá fazer a Corte rediscutir a autorização de prisão após decisão de segunda instância. Na avaliação da ministra, tomar uma decisão em virtude do caso de Lula seria “apequenar” o STF. Ela negou que vá pautar esse tema em fevereiro. “Não entendo porque um caso específico geraria uma pauta diferente. Seria apequenar muito o Supremo. Não conversei sobre isso com ninguém”, alegou, durante jantar com empresários em Brasília.

Noticiário geral: e por incrível que pareça, a nossa preocupação é com o dedo “mindim” do Neymar. Desperta gigante deitado eternamente em berço esplêndido!

Guaraci Alvarenga é advogado
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Fini para maiores

Fábrica de balas e doces de Jundiaí tenta se desligar de marca para crianças

Quando a ajuda vem de onde não imaginávamos!

Por Verci Butalo

Rei Roberto baixa em Arrigo Barnabé no Sesc

“Quero que vá tudo pro inferno!” é o show inédito que chega neste sábado a Jundiaí

Mais um dia de medo por conta do Harvey

Por Lucinha Andrade Gomes
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.