Jundiaqui
Jundiaqui

Mendoza: um oásis de vinícolas no deserto!

Jundiaqui
22 de abril de 2019
Por Lúcia Helena Andrade Gomes

Nada mais sábio na vida do que fazer um pit stop e voilà: escapar da realidade e viajar!

Em tempos bicudos e inquietantes, o nosso olhar busca nas cercanias viagens low profile, ou seja, com custos acessíveis. Mendoza, meu belo e amado recanto é, indubitavelmente, uma excelente escolha para os amantes do vinho, da boa mesa e de paisagens no mínimo intrigantes.

A primeira vez que fomos a Mendoza, o voo foi uma aventura longa e desgastante, com conexão demorada em Buenos Aires. Agora, tem voo direto pela Gol, às quintas e domingos, com a possiblidade de se usar o programa de milhagem.

Primeira observação: o voo lotado de terceira, quarta e quinta idades... inacreditável, como envelhecemos ou como saímos dos casulos e nos tornamos os eternos envelhescentes (adultos com almas de adolescentes). E noto que os grupos femininos são maioria - cada vez mais mulheres deixam as famílias e vão com amigas curtir os ares de Mendoza.

Se pretende ir, a primeira sugestão é: faça reserva nas vinícolas que pretende visitar com no mínimo três meses de antecedência. Vi vários turistas decepcionados, pois não conheceram o que desejavam. Isso vale principalmente para as mais requisitadas, como Catena Zapata, Norton e Chandon. O mesmo faça com o restaurante Francis Malmann.

Mas um detalhe: as vinícolas familiares e pequenas também são muito atrativas, assim esse pedaço da Argentina deve ser visitado com ou sem reservas. Recomendo uma visita à Bodegalaazul, pequena e familiar. O almoço harmonizado mirando a Cordilheira é de tirar o fôlego. Não é famosa, mas conquistou meu coração.

Mendoza também é famosa pela excelência de roteiro gastronômico e para a nossa alegria cabem perfeitamente no nosso bolso! Você caminha nas ruas com mesas nas calçadas, um clima descontraído.

Os sorvetes deliciosos contam com cardápio em português. Os argentinos lá são muito educados e valorizam os turistas. Em muitos locais aceitam o nosso real!

A rede hoteleira é ampla e diversificada. Você pode hospedar-se no centro em hotéis de três, quatro, cinco estrelas renomados, ou escolher uma das vinícolas ou um spa, muito aclamados por lá.

Fique atento para escolher a estação do ano. A decisão é se pretende ver neve e as parreiras secas ou outono na colheita, quando dá para fazer os passeios até de bicicleta... Lembre-se que a cidade fica em um deserto, é muito seca, sobra vinho, mas tem escassez de água!

Agora, cá entre nós, não amarre uma coleira e fique refém de indicações! Liberte-se! Conheça lugares novos, inusitados, faça o seu roteiro! Viajar para cumprir roteiros fechados pode ser muito estressante!

Dizer mais o quê? Que a vida pode ser bela e que o vinho tem tantos mistérios como a nossa alma e, ao degustá-lo em Mendoza, você sofre uma catarse e volta inspirada e renovada para driblar o cotidiano!



Lúcia Helena Andrade Gomes é advogada
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Jundiaí tem morte por dengue; mosquito desafia o Brasil

Todo cuidado é pouco com água parada em recipientes como pratos, garrafas, pneus, calha, laje e caixa d’água

Sérgio Reis fecha a porteira pra Jundiaí e vem aí Renato Teixeira

Orquestra Municipal tem novo acompanhante neste domingo no Parque da Cidade

Clube da Lady em festa pelos 58 anos e com três homenagens

Noite terá agradecimentos especiais a José Renato Nalini, Miguel Haddad e Nailor Gropelo

JundiAqui ganha pelo 2º ano como o melhor site da cidade! É bicampeão…

Edu Cerioni divide com ‘os melhores leitores de Jundiaí’ a conquista de novo prêmio
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.