Jundiaqui
Jundiaqui

Bateria Azul e Branco ‘levanta até os mortos’

Jundiaqui
19 de fevereiro de 2020
Turma de batuqueiros do Clube Jundiaiense ganha status de bloco com direito a festa e eleição da corte

Edu Cerioni

É de arrepiar quando Mestre Gi e seus batuqueiros aparecem no meio do desfile com o "Trovão Azul" fazendo barulho. Barulho bom, diga-se de passagem, cada ano com uma batida mais sofisticada e ensaiada. Gi comanda mais de cinquenta associados do Clube Jundiaiense que formam pelo sétimo ano seguido a Bateria Azul e Branco.

Neste Carnaval 2020, a turma mostra novo uniforme, camiseta que traz uma caveira desenhada e homenageia o Dia de Los Muertos, tradição mexicana que diz que os mortos têm permissão de vir visitar seus parentes naquele dia, ou seja, é bagunça na certa. Se lá é um feriado em 2 de novembro, aqui essa permissão da Azul e Branco foi estendida para todos os dias desse Carnaval.

A estreia foi no desfile do Chupa que é de Uva, dia 14,  com eles de cartola preta cheia de acessórios e elas com um arranjo de cabelo e maquiagem para lembrar Frida Kahlo, que de mulher sofrida se tornou uma artista empoderada e ícone feminista.

Nesta sexta-feira (21), a bateria reforça a folia do Refogado do Sandi, pelas ruas do Centro. Sai da sede central, desce a rua do Rosário até a praça Ruy Barbosa e volta pela Barão de Jundiaí até a Siqueira de Moraes. De lá, deixa o desfile do Refogado e vai continuar a festa com a Saideira da Central, por volta de 18 horas - leia mais.

Na Saideira vai rolar o samba "Trovão Azul", composição de Tom Nando de 2019. Ele é um dos vocalistas do Trio em Transe, banda que vai animar essa festa que é novidade no calendário do Carnaval do Clube Jundiaiense.

Tom Nando e parceiros também tocarão na segunda-feira, dia 24, entre 17 e 23 horas, quando acontece a festa Bloco Azul e Branco, desta vez na sede de campo.

CORTE

A Bateria Azul e Branco virou bloco e ganhou sua corte agora em 2020, com um único integrante que vem desde 2015, Tico Antunes, o porta-estandarte.

Camila Martho é a rainha. Ela é filha de Jorge Martho, que foi presidente do CJ. Toca ao lado de outros da família, como Ana Cláudia. A princesa é Carmem Silvia.

O padrinho 2020 é Valdir Zanatta, que tem a esposa Sandra Lúcia Brito Zanatta como madrinha.

Também em família está a guardiã-mirim Luisa Magalhães Lopes, que tem a irmã Paula e os pais Cristiano e Daniela como batuqueiros - foram padrinhos do Chupa.

Já o guardião é Oscar Panizza Junior e a guardiã, Sandra Berlim.

OUÇA O HINO DO "TROVÃO AZUL"



 
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Davi Chaim coloca espontaneidade das noivas em primeiro plano

Fotógrafo dos casamentos badalados faz exposição no Casa Cica a partir deste dia 24 de abril

Haitianos vão às ruas da Colônia para festejar sua bandeira

Dezenas dos imigrantes que estão vivendo em Jundiaí cantaram e dançaram nesta sexta

Com 26 mil vagas, Feira da Nasa abre inscrições na terça

2ª Science Days acontece nos dias 3 e 4 de abril, no Parque da Uva, com entrada gratuita

Idoso morto em São Paulo pelo coronavírus tinha familiares em Jundiaí

Prefeitura diz que Governo do Estado errou na informação; homem teria ficado em casa de repouso daqui
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.