Jundiaqui
Jundiaqui

MINUTO DE SILÊNCIO – O eterno guardião da folia

Jundiaqui
20 de junho de 2020
Adeus neste sábado de Daniel Nasser Zanni foi com um "até logo", ao avisar que iria tirar um cochilo

DANIEL NASSER ZANNI

*08.08.1985 +20.06.2020

Edu Cerioni

Quanta alegria foi essa de Daniel Nasser Zanni em fevereiro, que viveu um grande sonho, ao incorporar o verdadeiro espírito de Guardião da Corte do Refogado do Sandi no desfile pelas ruas Barão de Jundiaí e Rosário.

Usou roupa e chapéu do Soldadinho de Chumbo para tomar conta da mãe Cristina, a rainha do bloco, e mais ainda para brilhar aos olhos de milhares e especialmente de sua amada. O namoro com Natália Smith tinha três anos...

Daniel, que sempre acompanhou o Refogado - já era levado dentro do carrinho de bebê para ver o desfile -, se disse honrado com a homenagem e reclamou só de uma coisa: que o reinado de Momo era muito curtinho, porque ele queria mais.

Não deixou que escorressem lágrimas - ou as escondeu atrás das grossas lentes do óculos -, ao receber a faixa em festa no Las Muchachas, contudo era inegável a emoção que o tomou ali, sob aplausos.

Depois exibiu a faixa em noitadas no Bar Natura, no Cais Canoa e no Grêmio, com direito a subir ao palco, o mesmo em que se acostumou a ver muitas bandas e também o ídolo e amigo Rudy, cover de Elvis Presley.

Mãe e filho na corte do Refogado foi algo inédito e que fica para sempre na história do bloco mais tradicional da cidade e do nosso Carnaval.

Daniel tinha uma leve deficiência que alguns confundiam com autismo, mas era alfabetizado, tendo se formado no ensino médio em 2007, pela Escola Divina Providência. E mais: há seis anos tinha a capacidade de prover o próprio sustento, trabalhando como auxiliar administrativo da Droga Raia.

No Facebook, a última postagem foi uma foto ao lado do Pai, Paulo. O avô de quem herdou o nome, Daniel Paulo Nasser, batiza uma rua no bairro Torres de São José - foi radialista famoso. Era sobrinho de Antunes, que comanda a banda Zimbaião, e primo de Marcola e Telminha, que sempre o atraiam para seus shows.

O irmão do Guilherme, que teve paralisia e a quem tratava com a maior dedicação, deu adeus prematuro neste sábado (20) à tarde. Dormiu tranquilamente o sono dos justos.
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Na contramão da nossa tradição

Por Marcel Capretz

Trens abandonados na linha da CPTM em Jundiaí são destruídos

Vagões que ocupam trilhos atrás da Sifco estão virando sucata de ferro

Ideb: Vasco Venchiarutti é a quarta melhor de São Paulo e 14ª no Brasil

Escolas técnicas como a de Jundiaí são os grandes destaques da educação 

Em julho tem Feiccad no Maxi Shopping

Feira da Construção e do Imóvel é promovida por Adelson Lopes e sempre gera muitos negócios
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.