Jundiaqui
Jundiaqui

“Divinas Divas” chega a Jundiaí pelo Sesc nesta terça

Jundiaqui
16 de setembro de 2017
Filme marca despedida de Rogéria e tem Jane di Castro, Valéria, Brigitte de Búzios

As Divinas Divas são ícones da primeira geração de artistas travestis no Brasil dos anos 1960. Um dos primeiros palcos a abrigar homens vestidos de mulher foi o Teatro Rival, dirigido por Américo Leal, avô da diretora Leandra Leal. O filme traz para a cena a intimidade, o talento e as histórias de uma geração que revolucionou o comportamento sexual e desafiou a moral de uma época.


Aos 34 anos, Leandra Leal estreia na direção desse que foi eleito o Melhor Documentário pelo voto popular no Festival do Rio 2016 e que agora ganha ainda mais destaque por marcar a despedida de Rogéria.

"Divinas Divas" traz Rogéria e outras sete representantes da primeira geração de travestis nacionais a brilhar em cena a partir do Rio de Janeiro: Jane Di Castro, Divina Valéria, Camille K, Fujika de Halliday, Eloína dos Leopardos, Marquesa e Brigitte de Búzios.

Segundo Leandra, a ideia foi dar voz às alegrias, dramas e tristezas de figuras que dedicaram a vida à arte e fizeram desse amor uma maneira de se colocar com sua sexualidade diante da sociedade.

Vai ser exibido no Sesc Jundiaí nesta terça-feira (19), a partir das 20 horas. É grátis. Avenida Antonio Frederico Ozanan, 6.600, Jardim Botânico.

Leia também: “Divinas Divas” é uma prova de amor ao teatro brasileiro
Jundiaqui
Você vai
gostar de

“Flashback Night” coloca três bandas da pesada no palco do Uirapuru

Vão tocar no sábado Studio 54, Reprise Inédita e Soul Boogie Orchestra, a partir das 21 horas

Tem “Poetas da Cor” com jundiaienses no palco do Polytheama

Cia Druw mergulha no universo encantado da cor dia 20, com Felipe Sacon e Anderson Gouvea no elenco

FALECIMENTOS – 17 e 18 de setembro de 2020

Relação fornecida pelo Serviço Funerário de Jundiaí, com autorização das famílias para divulgação

Mudança urgente!

José Renato Nalini escreve sobre a profissão de advogado, ameaçada de desaparecer, e a situação caótica da Justiça
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.