Jundiaqui
Jundiaqui

Tite é disparado o melhor técnico do Brasil

Jundiaqui
7 de julho de 2019
Marcel Capretz escreve sobre o treinador que ajudou na conquista da Copa América 2019 de forma invicta

Sou muito crítico a categoria de técnicos brasileiros. Nunca generalizo, para não ser injusto. Mas vejo um atraso gritante dos nosso profissionais com relação ao que se faz no mais alto nível mundial. O fato de nenhum treinador do Brasil ser cotado para assumir nem ao menos um time médio europeu não me deixa mentir. E repare que me refiro a time médio. Um clube gigante mundial, então, acredito que nem se fizer uma listagem de vinte possíveis nomes colocará um profissional do nosso pais nesta lista.

Posto isso, e apesar disso, o nosso melhor profissional é Tite. Com suas qualidades, que são muitas. E com seus defeitos, que para mim são suportáveis. Coloco 'defeito suportável' porque no final das contas é isso que segura qualquer relacionamento. Seja ele pessoal, seja ele profissional - neste caso Tite (treinador) e eu (jornalista).

Entendo que o resultado em campo é fruto de um trabalho muito complexo do técnico. Amo estudar tática, estratégias, modelo de jogo, princípios e sub-princípios operacionais de ataque, defesa e de transições. Entretanto quanto mais estudo tudo isso mais entendo que o jogo não se resume a isso. O trabalho de um técnico fica muito evidente com escalações e alterações, porém ele vai muito além disso.

Tite é um mestre na arte das relações interpessoais. Essa é sua principal virtude - em segundo lugar vem a competência em armar grandes defesas, um atributo que ele carrega desde o início de sua carreira. E a maneira com que Tite faz a gestão do ambiente se sobrepõe, por exemplo, a dificuldade em criar conceitos ofensivos. É nítido que a seleção brasileira apresenta dificuldades em furar boas defesas. Só que o trabalho de Tite é bom, apesar disso. Vamos combinar, caro leitor: não existe técnico perfeito!

Reconheço que Tite em alguns momentos exagera nas figuras de linguagem, mas sua comunicação é muito boa. Também o seu trato diário com todos os funcionários, passando por massagistas, jogadores e chegando nos dirigentes é excepcional. E acredite: isso faz toda diferença! Isso faz sim uma equipe, ou uma seleção, ganhar. O bom técnico é aquele que tem boas competências profissionais técnicas, como entender de tática, metodologia de treino, ter boa leitura de jogo, mas também aquele que sabe liderar pessoas, gerir recursos humanos. E Tite é um mestre nisso.

E vamos lá: depois de Tite quem é o melhor aqui no Brasil? Tenho dificuldade para responder. Não vejo ninguém nem perto dele. Mano Menezes? Tem os mesmos problemas de ideias ofensivas e não é tão eficaz na gestão do ambiente. Renato Gaúcho? Não sinto firmeza na intenção do trabalho dele. O bom momento do Grêmio é muito mais fruto do que o clube produz do que do trabalho em si de Renato. Para mudar esse meu conceito gostaria de vê-lo triunfar em um outro cenário, onde ele não seja o maior ídolo da história. Enfim, Tite não está a altura hoje de dirigir um Manchester City, um Liverpool, um Barcelona, mas é o melhor nome entre os profissionais nascidos em território brasileiro. Sabendo do conservadorismo da CBF em ser relutante a abrir a nossa seleção para um estrangeiro, então o jeito é "Fica, Tite!"

Marcel Capretz é jornalista esportivo

Foto: Divulgação/CBF
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Thiago Batista de Olim é o campeão do Bolão da Copa do JundiAqui

Desde o terceiro dia de Mundial ele assumiu a dianteira e confirmou vitória nesta terça; dia 17 recebe o troféu no Casa Cica 

Procon pesquisa 107 materiais escolares e acha diferença de 222% no preço

Foram seis lojas da cidade as participantes do levantamento que pode ajudar pais a economizarem na volta às aulas

Dois rios

Por Valquíria Malagoli

Totem indica pressão arterial, batimentos cardíacos, oxigenação do sangue e temperatura

Foxconn apresentou equipamento criado em Jundiaí e que está em fase de testes
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.