Jundiaqui
Jundiaqui

Colégio particular de Jundiaí volta às aulas, agora on-line, para mais de 1.000

Jundiaqui
31 de março de 2020
Vale desde a Educação Infantil ao Ensino Médio, de segunda a sexta a partir das 7 horas; tem até simulado para o Enem

Edu Cerioni

Escolas e faculdades particulares estão criando alternativas para oferecer aulas on-line a seus alunos. O Colégio São Vicente de Paulo completa nesta segunda-feira (30) uma semana com atividades para seus mais de mil alunos em Jundiaí, das mais diferentes idades.

Luis Cláudio Tarallo, orientador da escola, conta que a boa aceitação dos alunos vem em uma crescente, à medida que a interação aumenta com os professores. "Tivemos essa primeira semana de adaptação e conforme passaram os dias deu para notar maior oferta de conteúdo e melhor resposta dos alunos e seus pais. Mesmos os adolescentes estão entendendo a situação e se esforçando muito, porque estão fazendo inclusive simulados para o Enem", conta Tarallo.

A oficial de Justiça Edimara Bianchin tem dois filhos no colégio e vê a medida como uma necessidade neste momento de pandemia por conta do coronavírus. "Se nada fosse feito, haveria um grande prejuízo tanto para a escola quanto para as crianças. Vejo essa como a única opção viável no momento em que estamos vivendo, em que a quarentena é fundamental para salvar vidas".

As aulas ocorrem no mesmo horário em que deveriam acontecer antes do fenômeno Covid-19. E a tecnologia ajuda bastante. "Há muita incerteza sobre o retorno às aulas presenciais", reconhece o orientador do São Vicente. Ele explica: "Começamos usando a plataforma Plural e os aplicativos dos Colégios Vicentinos para tentar oferecer uma rotina normal de aula e agora já estamos com o programa Hangout do Google, que permite aula ao vivo. Se a primeira aula, das 7 às 7h50, é de matemática, então o professor está on-line para passar o conteúdo, compartilhar conteúdos em power point, world, vídeos, dividindo a tela com o aluno que pode tirar dúvidas instantaneamente".

A escola assegura que aquele que perdeu uma aula ao vivo, poderá sanar dúvidas em uma próxima. "A ideia é que todos sejam atendidos em um momento de exceção que vivemos", completa Tarallo, que é também colunista do JundiAqui.

Edimara, a mãe de Cora Maria, 14 anos, e Caetano, 12, alerta: "Não acho que o aproveitamento das crianças seja 100%, porque em casa eles se distraem com outras coisas e fica mais complicado manter o foco nos estudos. Mas eu, como estou trabalhando em casa também, consigo acompanhar as tarefas e fazer com que concluam as aulas diariamente. Mas penso nas mães e pais que não podem fazer isso e mesmo quem não tem uma internet de boa qualidade acaba prejudicado".
Jundiaqui
Você vai
gostar de

Adelson Lopes comanda mais uma feira do imóvel e construção

Começa dia 19 no Maxi Shopping, este ano com 80 empresas expositoras

Gesto impensado

Por Vera Vaia

Primeiro faroeste da América Latina saiu de Jundiaí

‘O Cavaleiro da Serra’ foi rodado aqui em 1939, nos conta Celso de Paula. Com fotos da Ideal/Sebo Jundiaí

A inútil posse de bola do futebol brasileiro

Por Marcel Capretz
Jundiaqui
Artigos assinados não representam a opinião do site. Esse conteúdo é de responsabilidade exclusiva de seu autor.